Em nova live nas redes sociais, Governo do Ceará tira dúvidas sobre reabertura de setores da economia ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA A NOTICIA DO CEARÁ

Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

terça-feira, 13 de abril de 2021

Em nova live nas redes sociais, Governo do Ceará tira dúvidas sobre reabertura de setores da economia

 

Em transmissão ao vivo conduzido pela jornalista Joanna Cruz, o secretário executivo de Planejamento e Orçamento, Flávio Ataliba, informou que o funcionamento de novas atividades e a ampliação das já autorizadas serão definidos semanalmente, e não a cada 14 dias como no plano de retomada do ano passado

Começou a vigorar nesta segunda-feira (12) o novo decreto estadual autorizando a reabertura gradual de atividades econômicas consideradas não essenciais. Para esclarecer as dúvidas da população, o secretário executivo de Planejamento e Gestão da Seplag, Flávio Ataliba, participou de transmissão ao vivo pelas redes sociais do Governo do Ceará. Nesta nova etapa, o Comitê de Enfrentamento à Pandemia definirá semanalmente os próximos passos da reabertura, e não mais a cada 14 dias, como foi no plano de retomada da economia em 2020.

Flávio Ataliba coordena o grupo que define a retoma gradual das atividades econômicas e explicou que a reabertura só está sendo possível diante de um cenário epidemiológico de estabilização após cerca de um mês de isolamento social rígido. Contudo, ele destaca que é preciso manter os cuidados para que não haja retrocessos. “No decreto está escrito que, a qualquer momento, se as autoridades de saúde identificarem uma piora naqueles números considerados essenciais no monitoramento da pandemia, as atividades podem ser fechadas. Por isso, é fundamental o apoio da população. Se a gente quer que a economia volte a funcionar, nós precisamos da colaboração de todos”, enfatizou.

Comércio, Restaurantes e Delivery

Mesmo com a reabertura parcial do comércio e de serviços de alimentação fora do lar, o Ceará segue com o isolamento social rígido durante os fins de semana, sendo permitida a abertura apenas de atividades essenciais, e com toque de recolher todos os dias, das 20h às 5h. De segunda a sexta-feira, o decreto permite o funcionamento do comércio de rua, das 10h às 16 horas, e de shoppings, das 12h às 18h. Ataliba explicou que “esse formato teve a preocupação em estabelecer escalonamento de horário para que não haja aglomeração nos terminais de ônibus”. No interior, está permitido o funcionamento das lojas de rua das 7 às 13h, levando em consideração o costume local.

Na Capital, padarias e cafés seguem os horários dos comércios de restaurantes e serviços, com a capacidade máxima permitida de 25%, e seguindo os horários de 10h às 16h, se forem instaladas em comércio de rua, e de 12h ás 18h, caso estejam dentro de shopping centers, sempre de segunda a sexta-feira, fechando aos sábados e domingos. Perguntado na transmissão ao vivo sobre os cartórios, o titular da Seplag pontuou que estão contidos como serviços, abrindo de 10h às 16h, de segunda à sexta-feira.

Contudo, é importante lembrar que o sistema de entrega em casa – delivery – está liberado em todos os dias e horários, inclusive após as 20h, e aos finais de semana. “Estamos incentivando que os sistema de delivery em todas as atividades comerciais possíveis, e restrições de dias e horários, de domingo a domingo, tudo para manter os cearenses em casa, evitar que você precise se deslocar até algum comércio ou restaurante, e por consequência diminuir a circulação viral no Ceará”, ressaltou Ataliba.

O executivo da Seplag ressaltou como aconteceu o processo de escolha dos setores liberados neste momento. “Nós identificamos, como no ano passado, aquelas atividades com maior impacto social e econômico, juntamente com o critério das atividades com menor risco sanitário”, informou.

Fiscalização

Perguntado sobre como será feita a fiscalização após essa reabertura, Ataliba informou aos espectadores que o trabalho segue com a união de esforços dos setores de segurança pública e da saúde. “Continuaremos com a fiscalização ostensiva no horário de toque de recolher, da mesma forma que já estávamos praticando nos decretos anteriores. Todos os órgãos de fiscalização, incluindo segurança e controle, além da saúde, continuam nas ruas. Mas é sempre importante reforçar para que a população se sinta à vontade para fazer denúncias em casos de descumprimento do decreto, e que possamos colaborar com a situação. Não estamos numa situação confortável, precisamos ter critério até mesmo na hora de sair de casa, para que haja menos pessoas nas ruas, e que a contaminação do vírus seja menor”, frisou Ataliba.

Prática de exercícios

Outro tópico que foi muito debatido, foi a questão da prática de esporte, seja em local público ou privado. O secretário não se furtou em nenhuma das perguntas e listou a situação de cada uma delas.

Academias de condomínios residenciais: continuam à critério do regimento de cada condomínio, contando que sigam os protocolos sanitários e de segurança, sugestionamos que sigam com agendamento prévio por apartamento/família, assim como do uso de outras áreas comuns, como a piscina e até mesmo os elevadores. “Em todos os casos recomenda-se que evitem aglomeração em condomínios privados, assim como em qualquer lugar público, por isso é importante que haja uma disciplina de horário, a critério dos síndicos”, destacou.

Os espaços públicos continuam fechados (calçadões, areninhas, praças, praias, etc), para evitar aglomerações nessas áreas, e é importante lembrar que ainda estamos em sistema de isolamento social. Encontros como ciclismo em grupo também não é adequado, vai contra o isolamento e gera aglomeração nas ruas da cidade, portanto não está autorizado, pois ferem as questões sanitárias, assim como atividade de natação em clubes e nas praias.

Academias de ginásticas ainda não estão autorizadas a funcionar, fato também comentado pelo secretário. “Nos reunimos por várias semanas com os responsáveis das academias, e como da outra fez que iniciamos a flexibilização do comércio, a situação dos indicadores sanitários não é muito confortável. Atingimos uma estabilização, mas ainda com números muitos elevados, de internação e atendimentos. caso haja uma melhora, podemos rever essa e outras situações”, apontou.

Dúvidas mais frequentes

Com relação às igrejas, elas podem abrir de segunda a sexta-feira, com 10% da capacidade. Sobre o Detran, o órgão volta a abrir suas portas seguindo todos os cuidados para que não haja aglomeração. Os bares ainda não estão liberados, somente restaurantes nos horários estabelecidos para comércios de rua ou shoppings. Clínicas odontológicas também estão autorizadas a funcionar como atividades de serviço – fora dos horários permitidos, apenas para situações de emergência. A capacidade de cada estabelecimento deve levar em consideração a presença de colaboradores e clientes.

As barracas de Praia seguem fechadas, pois estão nas áreas públicas, e, junto com o uso das praias, também seguem fechadas, podem gerar aglomerações dentro e fora dos estabelecimentos comerciais instalados nessa região, inviabilizando nesse momento sua reabertura.

Feiras livres são pontos de aglomeração natural, com barracas que incluem a circulação de muitas pessoas em um curto espaço de tempo e espaço, o que acarreta perigo sanitário. “Feiras não estão autorizadas, pois temos que entender que é um processo lento de liberação de algumas atividades, e caso tenhamos atividades como essa liberadas, podemos retroceder até mesmo esse momento de estabilização, e ter de voltar a fechar tudo sem mesmo continuar com a flexibilização de outros setores da economia, por isso nós precisamos da colaboração de todos da sociedade”, disse.

Cursos complementares (como de idiomas e congêneres), ainda não há uma situação sanitária adequada para aulas presenciais, portanto recomenda-se o atendimento e aulas online.

Novas reaberturas no próximo decreto?

“Precisamos ter uma situação melhor, e por enquanto, vamos aguardar até o próximo final de semana para avaliar se haverão ou não novas reaberturas. Gostaríamos de abrir todos os setores ao mesmo tempo, para o Governo quanto maior a arrecadação, melhor. Contudo temos de ter um pouco mais de calma e prudência. No momento podemos nos considerar em fase de transição, e abrimos uma janela com dois horários específicos para alguns setores, em caráter de exceção”, explicou o secretário.

Fhilipe Augusto e Daniel Herculano - Ascom Casa Civil - Texto
Thiara Montefusco e Tatiana Fortes - Fotos


0 comentários:

Postar um comentário