Cearense de Iguatu, Paulo Sérgio Nogueira é o novo comandante do Exército do Brasil ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA TRIBUNA SHOW

allowfullscreen="true">allow="autoplay; clipboard-write; encrypted-media; picture-in-picture; web-share" allowfullscreen="true">

quinta-feira, 1 de abril de 2021

Cearense de Iguatu, Paulo Sérgio Nogueira é o novo comandante do Exército do Brasil

 


Após demitir toda a cúpula das Forças Armadas, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) já decidiu os nomes dos novos comandantes da Marinha, da Aeronáutica e do Exército, que será chefiado pelo general cearense Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

Paulo Sérgio era, até o momento, o responsável por chefiar o Departamento-Geral do Pessoal do Exército, e é a autoridade máxima de saúde e de recursos humanos da Força.

Em entrevista ao Correio Brasiliense, no último domingo, 28, o general apontou a possibilidade de uma terceira onda da COVID-19 no País nos próximos meses e defendeu lockdown, contrariando o que prega o presidente. As declarações do militar foram apontadas como um dos motivadores para a demissão do agora ex-ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva.

O jornal Estadão apurou que o presidente Bolsonaro defendeu uma punição ao militar, o que teria sido rejeitado por Azevedo e Silva. Bolsonaro, então, pediu a demissão do ministro, que é muito próximo de Paulo Sérgio.

Agora, Bolsonaro busca mostrar à tropa que a ideia é manter a continuidade nas Forças Armadas e, assim, apaziguar os ânimos.

Para a Marinha, foi escolhido o almirante de esquadra Almir Garnier Santos; enquanto o tenente-brigadeiro Baptista Júnior chefiará a Aeronáutica.

Currículo do general Paulo Sérgio:

Nascido em 28 de agosto de 1958, na cidade de Iguatu-CE, Paulo Sérgio entrou no Exército em 4 de abril de 1974, na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, onde concluiu o curso em 1976. Ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras em 1976.

Como Tenente Coronel, comandou o 10º Batalhão de Infantaria, em Juiz de Fora-MG, no biênio 2003-2004. Como Coronel foi designado para o cargo de Adido de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutico junto a Embaixada do Brasil no México.

Como Coronel ainda, foi classificado por término de missão no exterior na na Diretoria de Avaliação e Promoções (DAProm), em Brasília-DF, onde desempenhou a função de Chefe da 1ª Seção.

Como Oficial General, foi Chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Oeste; Comandante da 16ª Brigada de Infantaria de Selva, em Tefé-AM; Chefe do Estado-Maior do Comando Militar da Amazônia, em Manaus-AM; Comandante da 12ª Região Militar, em Manaus-AM; Subchefe de Operações do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, em Brasília-DF; Comandante Logístico do Hospital das Forças Armadas, em Brasília-DF; e Comandante Militar do Norte, em Belém-PA.

Dentre as condecorações com que foi agraciado, destacam-se:

– Ordem do Mérito Naval Grande Oficial;

– Ordem do Mérito Militar Cavalheiro;

– Ordem do Mérito Militar Oficial;

– Medalha Militar de Ouro com passador de Platina;

– Medalha do Pacificador;

– Medalha de Serviço Amazônico com passador de Prata;

– Medalha do Mérito da Força Expedicionária Brasileira;

– Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes;

– Medalha da Vitória;

– Distintivo de Comando Dourado;

– Medalha Marechal Osório – O Legendário;

– Ordem do Mérito do Ministério Público Militar – Grau Grande Oficial;

– Ordem do Mérito do Judiciário Militar;

– Medalha do Mérito Eleitoral do Pará.


0 comentários:

Postar um comentário