2.808 suspeitos de envolvimento em crimes foram capturados pelas Polícias do Ceará em fevereiro ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA MENSAGEM BÍBLICA

Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

quarta-feira, 3 de março de 2021

2.808 suspeitos de envolvimento em crimes foram capturados pelas Polícias do Ceará em fevereiro

 


O trabalho das Forças de Segurança do Ceará visando combater crimes em todos os 184 municípios cearenses resultou em mais um mês expressivo no número de capturas de adultos e adolescentes suspeitos da prática de crimes e atos infracionais, em fevereiro. O mês fechou com 2.808 prisões e apreensões. Em média, cem pessoas foram levadas a delegacias da Polícia Civil, todos os dias, para serem autuadas em flagrante ou para que tivessem os mandados judiciais cumpridos. Os esforços coordenados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) levaram as equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) e da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) a superar a marca alcançada em janeiro de 2021, quando 2.524 pessoas foram retiradas de circulação, com média de 81 capturas por dia. No total, o número de capturados nos dois primeiros meses do ano chega a 5.332.

O secretário da Segurança Pública, Sandro Caron, destaca o reforço no policiamento nas ruas e nas investigações de alvos que contribuíram para a efetivação das capturas. “Terminamos o mês de fevereiro novamente com um número expressivo de captura de adultos e adolescentes em situações de crime. Demos ênfase nessa atividade operacional, aumentando o policiamento preventivo e ostensivo, a presença policial, e intensificando as operações. Muito importante destacar também a intensificação de abordagens pela Polícia Militar, focando nas situações mais graves, como por exemplo, os homicídios e assaltos. Tivemos também uma intensificação das investigações da Polícia Civil, como já havia sido feito também em janeiro, focando nesses crimes de maior gravidade.”

Sandro Caron enfatiza que as estratégias adotadas pela SSPDS e suas vinculadas, a partir da intensificação do trabalho de inteligência policial para o combate ao crime no Estado, vêm surtindo efeito esperado. “Essa reestruturação na inteligência vem dando maiores resultados em razão do apoio que a inteligência vem fazendo para as investigações policiais. Tanto a Polícia Militar quanto a Polícia Civil já puderam contar no mês de fevereiro com a nova ferramenta lançada, o Status, que permite aos dirigentes das duas Polícias terem em tempo real as chamadas manchas criminais, ou seja, os microterritórios onde há uma maior incidência de crimes. Isso permite focar de maneira científica as ações onde elas realmente têm que ser focadas. O objetivo de tudo isso é possibilitar a queda nos índices de violência no Estado, proporcionando paz e tranquilidade ao cidadão cearense”, disse.

Um dos destaques do mês de fevereiro foi a deflagração da Operação Cerco Fechado, ofensiva da SSPDS que reuniu equipes da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) em ações ostensivas de fiscalização, trabalho investigativo e de inteligência em todo o Estado. Em menos de 72 horas, os 1.537 profissionais da segurança pública mobilizados na operação realizaram 32.205 abordagens e fizeram 350 prisões e apreensões em flagrante, além do cumprimento de mandados de prisão. A Operação Cerco Fechado aconteceu simultaneamente à visita da comitiva do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), a equipamentos da segurança pública e do sistema penitenciário do Ceará.

Os dados de capturas foram compilados pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública do Estado do Ceará (Supesp/CE), a partir de levantamentos da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da SSPDS. A maior parte das prisões aconteceu em Fortaleza (1.165 capturados), seguida da Área Integrada de Segurança 14 (306 capturados), que abrange municípios na região Norte, como Sobral; e pela Área Integrada de Segurança 19 (254 capturados), onde estão localizados os municípios que fazem parte da região do Cariri cearense.

Em Fortaleza, as Áreas Integradas de Segurança 6, 7, 2 e 9 acumularam as maiores quantidades de capturas, com 152, 126 e 118 (houve empate nas AISs 2 e 9) pessoas detidas e levadas para delegacias de Polícia Civil. O dia do mês de fevereiro que registrou o maior número de prisões em 24 horas foi o dia 13, quando 133 pessoas foram autuadas em flagrante ou tiveram mandados de prisão cumpridos pelas Forças de Segurança do Estado. Em 15 dos 28 dias, mais de cem pessoas foram presas ou apreendidas em todo o Estado diariamente.

As ações policiais tiveram como base informações levantadas pelos serviços de inteligência do Estado, por meio da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da SSPDS, do Departamento de Inteligência Policial (DIP) da PCCE e da Assessoria de Inteligência (Asint) da PMCE, além de acionamentos da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops).

Tecnologia

Fevereiro foi o primeiro mês no qual os gestores da segurança pública tiveram acesso ao Sistema Tecnológico para Acompanhamento de Unidades de Segurança (Status), ferramenta que consiste no uso de inteligência analítica para dados criminais, utilizando a ciência de dados, estatísticas, geoprocessamento e inteligência artificial. O Status foi desenvolvido pelo projeto Inteligência Científica e Tecnológica Aplicada à Segurança Pública, que é parte do Programa Cientista Chefe e fomentado pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap/CE), em parceria com a SSPDS, sob a gestão da Supesp.

A ferramenta Status reúne todas as ocorrências importadas de sistemas alimentados por profissionais da segurança pública, divididas por semana, mês e ano. Além disso, a plataforma analítica usa cenários a partir de cadastros de indicadores criminais para subsidiar decisões e ações direcionadas para cada necessidade. Há ainda a possibilidade de realizar uma apresentação visual do ambiente por meio da realização das análises de mapas (“manchas criminais”), análise de estatísticas por principais tipos criminais, entre outros serviços disponíveis no sistema.

Policiais civis e militares estão sendo treinados para descobrir o potencial da ferramenta para uso imediato no planejamento de ações, seja no patrulhamento ostensivo, em ações preventivas ou em investigações de crimes no Estado.

Ascom SSPDS - Texto e Fotos

0 comentários:

Postar um comentário