Março 2021 ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA TRIBUNA SHOW

allowfullscreen="true">allow="autoplay; clipboard-write; encrypted-media; picture-in-picture; web-share" allowfullscreen="true">

quarta-feira, 31 de março de 2021

Prefeitura de Cedro retoma manutenção da iluminação pública com um novo contrato



 Para solicitar a troca, a população pode entrar em contato através do (88) 9.8146-6478, de segunda a sexta-feira, no período das 8h às 17h. 

A Prefeitura de Cedro, por meio da Secretária de infraestrutura, iniciou este mês um novo contrato para manutenção da iluminação pública. Os trabalhos iniciaram na última segunda-feira (29), com a reposição de lâmpadas em ruas e praças. 

O prefeito Joãozinho de titico, ressalta que a última troca de lâmpada na cidade ocorreu em dezembro de 2020, mês em que o contrato com a empresa que prestava este serviço venceu. “Era uma das nossas prioridades do nosso governo municipal, mas devido as tramites burocráticos inerentes ao processo licitatório, estamos iniciando com a troca de lâmpadas na zona urbana e rural”, pontua.  

Para agilizar o serviço, o morador basta ligar ou mandar mensagens (whatsapp), e informar seu nome, endereço do poste com problema e pontos de referência. Para o Secretário interino de infraestrutura, ressalta que a pasta já contava com levantamento de bairros e distritos com locais para troca das lâmpadas. “Iniciamos em diversas ruas e praças, e essa ação é um trabalho que seguirá ao longo do ano, mas por conta das chuvas algumas peças acabam se desgastando com mais rapidez”, destaca Marcus Pitombeira. 

A empresa Techluxx do Brasil iluminação e materiais elétricos Eirelli-ME, foi a vencedora da licitação. O valor do contrato é de R$ 240,818,92 com vigência de 12 meses ou podendo ser prorrogado nos casos e formas previstas no art. 57 da Lei Federal 8.666/93.   



Marciel Bezerra
Assessoria de Imprensa - Prefeitura de Cedro

VÁRZEA ALEGRE: PRISÃO POR PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO, POSSE DE DROGA E DIREÇÃO PERIGOSA



Ontem dia (30/03/2021) por volta das 10:00min, fomos informados via 190, que dois indivíduos em uma motocicleta estavam fazendo a prática de tráfico de drogas, e que, supostamente estariam armados, os dois estavam de jaquetas pretas, em uma motocicleta. De pronto a VTR 10153 começaram a fazer rondas pelas ruas da cidade em busca de encontrar os mesmos, quando nas proximidades da Igreja Matriz, ao avistarem a viatura, empreenderão fuga pelas ruas da cidade, quando em uma frenagem brusca vieram a cair e se machucaram, ambos trafegavam numa motocicleta, após a queda dispensaram um objeto, o qual veio a ser encontrado logo depois, um revólver calibre .38, com numeração raspada, com duas munições intactas, momento em que foi efetuado um disparo por um dos policiais, ao visualizar, que um dos mesmos levará, as mãos a cintura, também estava com os mesmos uma quantia de 107 reais em espécie, e dois papelotes de cocaína, em seguida, foram levados ao hospital local, para serem medicados, pois, ao caírem, vieram a se machucarem, um dos envolvidos teve uma fratura no punho esquerdo em virtude da queda, em seguida, ambos, foram conduzidos a delegacia Regional de Iguatu, para os devidos procedimentos cabíveis.


Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

IGUATU: FURTO A RESIDENCIA



Ontem dia 30/03/2021, por volta das 23h00min, a Polícia Militar através da VTR 10491; recebeu uma denúncia via 190 acerca de um furto na rua Professor João Coelho, nº 447, centro. Segundo a vítima, estava ela dormindo quando ouviu um barulho vindo do quintal, e que ao levantar para ver o que tinha acontecido, percebeu que seu botijão de gás havia sido furtado. O policiamento orientou a vítima a comparecer na delegacia para registrar o ocorrido, em seguida saiu em diligência no sentido de localizar e prender o infrator.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

ACOPIARA: ACIDENTE DE TRÂNSITO



Ontem 30.03.2021, por volta das 23h00min a Polícia Militar foi informada acerca de um acidente de trânsito na Rua Padre Leopoldo Rolim, centro, Acopiara-CE. A VTR 10531 foi ao local, sendo constatado o fato em que um veículo tinha sobrado numa curva e batido em um poste de videomonitoramento da cidade, sendo que este caiu sobre um poste de rede de alta-tensão da Enel, causando um apagão na cidade, local onde o veículo Toyota Corola, Placa KHO 3899, cor cinza, estava entre os dois postes, que o condutor do veículo, estava no local aguardando e não aparentava ter feito uso de bebida alcoólica como também apresentou habilitação para dirigir veículo automotor, e ao ser indagado acerca do ocorrido não soube explicar a dinâmica do acidente. Diante dos fatos o policiamento se deslocou até a Delegacia para registrar o boletim de ocorrência, pois ocorreu dano a um bem do Estado.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

IGUATU: FURTO A PESSOA



Ontem dia 30/03/2021, por volta das 23h00min, a Polícia Militar através da VTR 10491 recebeu uma denúncia via 190 acerca de um furto na rua Amália Brasil, nas proximidades do posto de combustível Veneza. Ao chegar no local, se deparou com a vítima, que segundo o mesmo, havia acabado de deixar uma bolsa de couro sintético, de cor preta, por cima da capota do veículo no qual trabalhava vendendo artigos de bijouteria quando, após uma breve distração em linha telefônica, percebeu que sua bolsa havia sido furtada.

            Dentro da mochila continham roupas, papéis de cobranças dos seus clientes e sua identidade civil. O mesmo foi orientado a registrar um Boletim de Ocorrência. A composição segue diligenciando em busca de informações acerca do delito.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE
Foto: Divulgação

ACOPIARA: ACIDENTE DE TRANSITO - ABALROAMENTO



Ontem 30.03.2021, por volta das 14h15min a Polícia Militar foi informada acerca de um acidente de trânsito ocorrido às margens da CE 060 no cruzamento entre a Av. José Rufino de Pinho e a Rua Vanda Pinho Cavalcante. O acidente ocorreu quando a condutora, que conduzia o veículo MMC/asx2.0 MT Mitsubishi de cor branca, placa PMA – 9989, no sentido Nova Acopiara para o Centro, avançou a preferencial, colidindo com uma motocicleta Honda CRF 1000 Africa Twin, placa PNY 0898, pertencente a Equipe Raio de Acopiara-CE e que estava sendo conduzida pelo que vinha no sentido rodoviária. Foi constatado apenas danos materiais. O agente de trânsito municipal, Juvenal, e a PRE compareceram no local para os procedimentos cabíveis.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

CARIÚS: APREENSÃO DE ARMA DE FOGO

 


Ontem dia 30/03/2021, por volta das 14h00min, a Polícia Militar realizava rondas ostensivas na Rua Padre José Sobreira, Bairro Penha, Cariús/CE, quando avistou um indivíduo, o qual tinham informações que andava armado, trafegando a pé nessa localidade, momento em que tentaram abordar o elemento, mas o mesmo fugiu pulando uma cerca de arame e adentrando um matagal. Durante a ação o acusado deixou uma arma de fogo cair num terreno baldio, sendo apreendida. A arma de fogo foi levada para a Delegacia Municipal de Jucás, onde o caso foi registrado. A Polícia Militar efetua diligências, com o objetivo de localizar e prender o criminoso.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

ACOPIARA: ACHADO DE CADÁVER (MORTE NATURAL)



Ontem dia 30/03/2021, por volta das 13h00min, a Polícia Militar foi informada, via telefone 190, a respeito de um achado de cadáver no Sítio Floresta, zona rural, distante 10 km da sede do município de Acopiara/CE, porém o corpo já se encontrava no Hospital Geral Suzana Gurgel do Vale. A viatura da Polícia Militar deslocou-se para o referido hospital e manteve contato com familiares da vítima, os quais relataram que a mesma fazia consumo abundante de bebidas alcoólicas e já estava desaparecido desde o dia 28/03/2021, quando resolveram procurá-lo, encontrando-o já sem vida, por volta das 08h00min do dia 30/03/2021. Não apresentava sinais de violência física.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

IGUATU: ACIDENTE DE TRÂNSITO (COLISÃO)



Ontem dia 30/03/2021, por volta das 12h00min, a Polícia Militar foi informada, via telefone 190, acerca de um acidente de trânsito na Avenida dos Quixelôs, Bairro Alvorada, próximo ao Super Lagoa, nesta urbe. A viatura da Polícia Militar compareceu no local da ocorrência, mantendo contato com populares, os quais relataram que a moto Honda CG Fan 150 ESI, ano 2013, cor preta, ia no referido endereço supracitado sentido ao semáforo que fica no cruzamento com a Avenida Perimetral, quando em dado momento foi colhido por um carro VW Gol CLI, cor vermelha, ano 1995,  avançando a preferencial no instante que saia de uma rua lateral, o qual ficou no local do acidente e o condutor evadiu-se do local do acidente. A vítima foi socorrida pela viatura do SAMU para o Hospital Regional de Iguatu, apresentando escoriações pelo corpo, fratura na face e afundamento no crânio, em seguida transferido para a cidade de Barbalha/CE. A viatura do DEMUTRAN esteve na localidade em que houve o sinistro, a fim de serem adotados os procedimentos cabíveis.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE
Foto: Divulgação

ACOPIARA: ACHADO DE CADÁVER (MORTE NATURAL)



Ontem dia 30/03/2021, por volta das 07h30min, a Polícia Militar foi informada, via telefone 190, a respeito de um achado de cadáver na Rua 10 de Novembro, S/N, Bairro Centro, Acopiara/CE. A viatura compareceu no local indicado e manteve contato com familiares da vítima, o qual relataram que pela manhã quando acordaram encontraram-na sem vida. O corpo não apresentava sinais de violência, sendo conduzido pela ambulância ao Hospital Geral de Acopiara Suzana Gurgel do Vale, a fim de serem realizados os procedimentos cabíveis.

Com as informações: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE

Foto: Divulgação

terça-feira, 30 de março de 2021

Emprego formal segue em alta no Ceará pelo oitavo mês consecutivo

 


Em fevereiro, o número de contratações com carteira assinada (43.218) superou o de demissões no Ceará (23.242). De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério da Economia. No segundo mês de 2021, foram criados 12.343 novos empregos formais.

No mês em análise, o nível do emprego formal subiu 1,05% e atingiu o total de 1.166.651 empregos com carteira assinada, no Ceará. Em termos setoriais, esse resultado decorreu do maior número de oportunidades de trabalho geradas nos serviços, com 5.892 empregos, seguido pela administração pública (3.118), comércio (2.599), indústria (2.501) e construção civil (1.801).

No acumulado do ano, o saldo entre contratações e desligamentos no mercado de trabalho cearense ficou positivo em 20.211 empregos, dado o maior número de contrações do que de demissões, em comportamento atípico para o período.

Mantendo o destaque na região Nordeste, o Ceará ficou atrás apenas da Bahia, que teve um saldo de 18.993 novos empregos criados em fevereiro. O Estado do Rio Grande do Norte ocupa o 3º do mesmo ranking, com a criação de 1.899 postos.

“O saldo positivo teve uma forte contribuição do setor de serviços, com mais de 5,8 mil novas colocações de trabalho, empregando em especial os profissionais na faixa dos 18 aos 24 anos de idade, com ensino médio. São resultados animadores, e sinalizam a elevada disposição da população cearense em contribuir cada vez mais para o desenvolvimento econômico e social de nosso Estado”, afirmou o secretário executivo do Trabalho e Empreendedorismo da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Kennedy Vasconcelos.

Já em termos territoriais, a dinâmica mais favorável da geração de empregos continua sendo na capital cearense, onde Fortaleza desponta com 3.275 empregos, o equivalente a 26,5% do total no estado, seguida de Maracanaú (398 ou 3,2%), Juazeiro do Norte (354 ou 2,9%), e Várzea Alegre (328 ou 2,7%).

“Como mediadores entre a oferta e a demanda de empregos no estado, recebemos os registros do CAGED com muita alegria, pois sabemos da importância do trabalho formal para as famílias cearenses, principalmente quando temos um contexto econômico e social agravado pela pandemia. Com certeza, a geração de postos de trabalho com carteira assinada é o reflexo de uma política voltada para o desenvolvimento do estado e para o fortalecimento da área de trabalho, aumentando as oportunidades para o trabalhador”, destaca Gilvan Mendes, presidente do IDT.

Ascom IDT/Sine - Texto
Ascom Casa Civil - Foto

É falsa a insinuação de redução salarial dos servidores públicos estaduais

 


O Governo do Ceará afirma que se trata de notícia falsa a insinuação de qualquer redução salarial para os servidores públicos estaduais nos próximos meses. E lamenta a utilização de peças de desinformação com o intuito de confundir a população em um momento onde todos os esforços da administração estão voltados para salvar vidas e minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus.

Como agência de checagem de informações, a Antifake CE entrou em contato com o Diário do Nordeste, que negou a publicação do conteúdo falso. O Governo entende que o momento pelo qual passam o Brasil e mundo, desafiador, requer união de todos e todas e roga discernimento e bom senso a quem busca, por meios escusos, mais atrapalhar do que auxiliar na batalha contra a Covid-19.

 

Você pode entrar em contato conosco através dos seguintes endereços:

Pelo WhatsApp: +55 85 98439-0655

Pelo Telegram: +55 85 98956-1392

Pelo e-mail: web@imprensa.ce.gov.br

Pelas redes sociais: via direct/inbox nas contas oficiais do Governo: InstagramFacebook ImprensaFacebook e Twitter

Doação domiciliar reforça estoques dos bancos de leite durante pandemia

 

A médica neonatologista Ana Lia Rocha, de 28 anos, vive a experiência de ser doadora de leite

Rico em nutrientes e anticorpos, o leite materno é o alimento ideal para recém-nascidos e essencial para a recuperação de bebês prematuros. Com o cenário de pandemia, os bancos de leite e postos de coleta dos hospitais vinculados à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) estão fortalecendo a doação domiciliar para reforçar os estoques.

A médica neonatologista Ana Lia Rocha, de 28 anos, vive a experiência de ser doadora de leite materno para o Banco de Leite do HRN. “Eu tinha um sonho de ser mãe, poder amamentar, e outro sonho era poder doar leite. Sou pediatra e via a necessidade dentro da Neonatologia, o quanto era importante e precioso esse líquido para ajudar os bebês a se recuperarem. Poder estar hoje do outro lado doando é realmente a realização de um sonho, uma forma de poder doar vida”, celebra.

Lia é mãe de Melissa, de 3 meses, e é doadora de leite materno há um mês. “Senti a necessidade de doar, principalmente, porque estamos nesse tempo de pandemia”, explica. Ela lembra que a filha é amamentada de forma exclusiva pelo leite humano. “A melhor forma de estimular a produção é doando”, ensina.

“As doações domiciliares estão sustentando os estoques dos bancos de leite neste tempo de pandemia”, afirma a enfermeira do banco de leite do HRN, Livia Muniz. A estimativa do Hospital Regional Norte (HRN), da Sesa, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), é de coletar 40 litros mensais para suprir as necessidades dos bebês das unidades neonatais.

Segundo a coordenadora do Banco de Leite do HRN, Renata Karen Oliveira, o leite materno é fundamental na recuperação dos bebês. “A doação domiciliar é muito importante para prematuros, que muitas vezes não dispõem da mãe para fazer a ordenha por questões clínicas, já que a mãe pode estar em ambiente hospitalar, em outro município ou pela questão da descida do leite, que fica prejudicada nesses pacientes prematuros”, avalia.

Ao entrar em contato com o Banco de Leite do HRN, as futuras doadoras fazem um pré-cadastro, enviam os documentos e os exames rápidos são realizados na primeira visita domiciliar. A doadora faz testes de sangue para identificar hepatites B e C, HIV e Sífilis. Também recebe um kit doadora com máscara, gorro, gases e frascos, além de treinamento de como ordenhar. “Quando identificamos possíveis sujidades ou acidez elevada, na próxima visita já damos um retorno para essa mãe para que elas vão corrigindo”, complementa Lívia Muniz.

Manutenção do estoque

Maria Costa, enfermeira do Banco de Leite Humano do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), ressalta que a doação domiciliar é necessária para a manutenção do estoque. “Somos um hospital infantil que recebe recém-nascidos que muitas vezes não estão acompanhados de suas mães, e esse leite da doação domiciliar tem sido fundamental. Principalmente neste período de pandemia, de casa, essas mães estão doando e salvando a vida dessas crianças”.

De acordo com a profissionais de saúde, além de informações sobre a realização da coleta domiciliar via teleatendimento, as mães também recebem orientações sobre boas práticas para a amamentação diante de dificuldades para garantir o aleitamento de seus filhos. Maria reforça que qualquer mulher saudável em processo de amamentação pode ser uma doadora. A coleta do leite é feita gratuitamente em domicílio.

Teresa Fernandes e Eduarda Talicy - Ascom do HRN e do Hias - Texto
Teresa Fernandes - Foto Iza Machado - Arte gráfica

Idosa de 75 anos é a centésima paciente de Covid-19 do HMJMA a receber alta

 

Geralda de Castro passou apenas três dias na unidade, mas o suficiente para se restabelecer da doença

A aposentada Geralda Santana de Castro, de 75 anos, é a 100ª paciente de Covid-19 do Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar (HMJMA), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a ser curada na unidade. “Começamos a atender pacientes com coronavírus no dia 19 de fevereiro. Têm sido dias intensos, de muita luta e dedicação, mas também de vitórias. Esse número é uma prova disso”, destaca a diretora geral do HMJMA, Dra. Silvana Furtado Sátiro.

A idosa passou apenas três dias na unidade, mas o suficiente para se restabelecer da doença que também acometeu o filho, Paulo Sérgio, de 45 anos. Recuperado, ele veio buscar a mãe na tarde dessa segunda-feira (29). “Quase me matou quando a assistente social fez uma chamada de vídeo e minha mãe me pediu: ‘Meu filho, venha me buscar, quero ir para casa’. Doeu demais. Agora vou poder cuidar dela, eu mesmo não estava bem”, relata.

Mãe e filho seguem para o município de São Luís do Curu, localizado a 75 km de Fortaleza, onde moram desde o início da pandemia.

A direção do Hospital Martiniano de Alencar conta com 46 leitos de Covid-19, sendo 12 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 34 enfermarias. Todos devidamente equipados e com uma equipe de especialistas preparada para quaisquer intercorrências.

Em 40 dias de atuação, o HMJMA já recebeu 142 pacientes por meio da Regulação do Estado do Ceará. “E vai seguir na luta contra a doença enquanto for necessário. Inclusive, quero agradecer a todos os funcionários e ao Dr. Rafael Cunha (responsável pelo setor), que prontamente aceitaram esse desafio”, pontua Dra. Silvana.

Diana Vasconcelos - Ascom HMJMA - Texto e foto


Governador assina decreto que regulamenta vale-gás e atualiza número de leitos de Covid

 


O governador Camilo Santana utilizou as redes sociais na noite desta segunda-feira (29) para atualizar os números e as ações de combate à pandemia em todo o Ceará. Na ocasião, além de apresentar dados positivos importantes da rede de Saúde, assinou a regulamentação da distribuição do vale-gás a famílias em situação de vulnerabilidade.

“Estou assinando agora a lei que nos autoriza a distribuir 250 mil vales-gás, numa ação que repetimos do ano passado, que contou com a parceria da Nacional Gás, que vendeu ao Governo do Ceará os botijões de gás a preço de custo”, detalhou. Após sancionar mais essa medida social do Governo do Ceará, Camilo Santana listou uma série de ações de apoio às famílias cearenses já em vigor, como a isenção das contas de água de 493 mil famílias cearenses através da Cagece (famílias de baixa renda que consomem até 10 m³ por mês) e Sistema Sisar (Área Rural); A ampliação de 70 mil para 150 mil famílias beneficiadas com o Cartão Mais Infância Ceará, recebendo auxílio de R$ 100 mensalmente; Distribuição de 347 mil chips de dados de internet com um pacote de 20GB mensais e 150 mil tablets para alunos da rede pública estadual de ensino, além da distribuição de mais de 2,5 milhões de kits alimentação; e o Auxílio Catador, que virou política pública permanente e que concede benefício mensal de ¼ de salário-mínimo aos catadores que atuam na coleta de resíduos sólidos.

Confira as ações que o Governo do Ceará vem promovendo no combate à pandemia

Dentre as medidas implementadas nesta pandemia que auxiliam os setores de Bares, Restaurantes e Alimentação Fora do Lar e o setor de eventos, está o benefício, com inscrições abertas, para pagamento de R$ 1 mil aos trabalhadores desempregados desses setores, e a isenção do IPVA para veículos das empresas do setor.

Recorde de leitos

Em todo o Estado, o Governo do Ceará tem aberto exclusivos para atender pacientes com Covid-19, e já ultrapassou em quase dois mil o número que tinha no pico da pandemia em 2020. Atualmente o Ceará conta com um total de 4.724 leitos exclusivos para Covid, sendo 3.506 de enfermaria e mais 1.218 leitos de UTI. Camilo destacou que antes da pandemia apenas três cidades cearenses possuíam leitos de UTI e atualmente são 18 municípios com essa estrutura de atendimento de complexidade.

O governador afirmou que o Ceará deverá ultrapassar os 5 mil leitos muito em breve, pois já estão em andamento mais sete unidades de campanha, sempre atreladas a hospitais existentes, para aproveitar estrutura e pessoal. “Hospital Regional Norte (HRN) vai ganhar novos leitos com o sua unidade de campanha, anexa à sua estrutura, assim como o Hospital de Messejana, o Waldemar Alcântara, o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), o HRSC, em Quixeramobim, o Regional do Cariri, e o Hospital de Crateús, que adquirimos. Além desses, estamos negociando a compra do Hospital de Itapipoca, para torná-lo público, e assim continuar a garantir a ampliação de leitos ao máximo possível e atender todos os cearenses com o mínimo de dignidade”, apontou.

Vacinas e Vacinômetro

“Na transmissão ao vivo, Camilo Santana apontou ainda que o Ceará se aproxima da marca de mil doses de vacina contra Covid-19 aplicadas. E ressaltou ainda que o Estado “segue como nota 10 e número um do Brasil em transparência pela Controladoria Geral da União (CGU). Então, tudo o que você quiser saber, basta acessar o IntegraSUS”. Pelos números do Vacinômetro, que contabilizam as vacinas aplicadas pelos municípios e que são atualizados diariamente pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Até às 12h desta segunda-feira (29), até as 12h desta segunda-feira (29), foram 944.099 doses aplicadas, entre primeira e segunda doses.

O governador antecipou que até quarta-feira (31) o Ceará deverá receber o 12º lote com doses da vacina contra Covid-19, dentro do Programa Nacional de Imunização (PNI), e que em menos de 24 horas os imunizantes serão distribuídos de forma proporcional aos 184 municípios.

“Tive várias reuniões sobre a pandemia nesta segunda-feira (29), e percebemos que os números estão mais estáveis, fruto do isolamento social e das nossas medidas de prevenção, mas também se avalia o resultado por conta da vacinação, principalmente nos idosos, com números positivos de menos internações dessa faixa etária. Contudo, os números ainda estão muito altos, a demanda por internação ainda é muito alta, e nesta nova onda estamos enfrentando um vírus mais agressivo, que atinge os mais jovens e os deixam mais tempo internados, por isso é muito importante que você cumpra o isolamento durante toda esta semana”, ressaltou o governador. Ele complementou que, se os números mantiverem a tendência, o Comitê poderá assim discutir ao longo da semana a possibilidade de previsão de retomada gradual das atividades não essenciais a partir do dia 5 de abril. Mas, para isso, é preciso que as pessoas fiquem em casa neste momento e cuidem de quem mais amam.

Proteger a vida

Encerrando a transmissão, Camilo comentou as ameaças direcionadas a ele. “Quero agradecer aqui uma série de apoios e mensagens, tanto de políticos, quanto dos cearenses, a respeito das ameaças que tenho recebidos nos últimos dias. O setor de Inteligência do Ceará está tomando todas as providências, e vou continuar agindo da mesma forma, com a consciência tranquila, em paz, agindo sempre para proteger a vida dos irmãos e irmãs cearenses. E lembrem-se, o decreto de isolamento social rígido continua em vigor, se continuar essa tendência de estabilização e redução podemos discutir a reabertura de alguns setores do Estado. Por isso faço um apelo, se cuidem, vamos cumprir o isolamento, vamos usar máscara, precisamos manter todos os cuidados. A única prevenção ao Covid é isolamento social e a vacinação”.

Daniel Herculano - Ascom Casa Civil - Texto
José Wagner, Carlos Gibaja e Tatiana Fortes - Fotos

Cerca de 2 mil doações de capacetes Elmo já foram entregues à saúde pública estadual

 

Nesta segunda-feira (29), a empresa Solar Coca-Cola entregou 100 unidades do Elmo à Sesa. Do total, 20 já foram distribuídas para o Hospital São José

Ações solidárias são cruciais no cenário de pandemia. Como no caso das doações de capacetes Elmo, que já somam 1.967 unidades do dispositivo destinadas à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) para atender a rede pública de saúde estadual. A iniciativa, que evidencia o comprometimento social de várias instituições e pessoas físicas, é fundamental no momento em que o Estado expande o número de leitos para garantir assistência à população cearense em meio à alta disseminação da Covid-19.

“Agradeço e reconheço, com alegria, a onda de solidariedade que tem se formado para doações do capacete Elmo e de treinamento do dispositivo que a sociedade tem mostrado para a Secretaria da Saúde do Estado e para nossa Escola. Quase dois mil capacetes já foram doados, e junto aos treinamentos específicos, o que pode levar esse dispositivo a ser usado com segurança em todo o Ceará e até mesmo em outras regiões do Brasil”, afirma Marcelo Alcantara, superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE) e idealizador do Elmo.

Nesta segunda-feira (29), a Solar Coca-Cola entregou cem unidades do aparelho à Sesa. Do total, 20 já foram distribuídas para o Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ). “Momentos críticos, como o que vivemos hoje com a pandemia, desafiam a todos e demandam ainda mais esforços e dedicação. Por isso, de acordo com as necessidades mais urgentes de cada local ou cada grupo, estamos realizando uma série de ações emergenciais para dar algum alívio aos que mais sofrem nesse momento”, explica Fabio Acerbi, diretor de Relações Externas da companhia.

Na última sexta (26), a Associação Médica Cearense (AMC) repassou à Sesa 165 unidades do Elmo. Para realizar a doação, a entidade desenvolveu uma campanha que envolveu médicos, clínicas particulares e sociedades de especialidades médicas filiadas numa corrente solidária. “A pandemia é a pior crise sanitária do País. Isso traz à tona a solidariedade, um momento de união de todos independentemente de todas as diferenças, em busca de amenizar o sofrimento da população”, afirma Ricardo Pessoa, secretário-geral da AMC.

Já a Esmaltec, do Grupo Edson Queiroz, entregou 500 equipamentos na quarta-feira (24). Com isso, a empresa já totaliza mais de 1.500 aparelhos doados desde que iniciou a fabricação do dispositivo, no fim de 2020.

“Estamos atendendo na medida do possível os pedidos de doação conduzidos pelos órgãos públicos de saúde, muitas vezes patrocinados por entidades da iniciativa privada. Um esforço coletivo que reflete a capacidade solidária que temos em contribuir com a sociedade”, destaca Marcelo Pinto, diretor superintendente da Esmaltec.

Repasse ao SUS

A partir das doações, a Sesa faz a distribuição do capacete para unidades da rede pública de saúde de Fortaleza e do Interior. Diante do agravamento da pandemia, também há cooperação entre os estados: 65 Elmos foram entregues em caráter solidário ao Governo do Amazonas e 40, ao do Maranhão.

Para que o capacete Elmo seja alternativa de tratamento nas unidades hospitalares, a ESP/CE realiza treinamentos para utilização do equipamento. Desde dezembro de 2020, mais de 700 profissionais foram capacitados, número superior à meta de treinar 285 profissionais em três meses.

Jackson de Moura - Ascom ESP/CE - Texto
Diego Sombra - Foto

Capacete Elmo: inovação cearense recupera pacientes de todo o Brasil

 



Os mais remotos registros da presença humana na Terra destacam os conflitos. Nas guerras antigas e medievais, por exemplo, Elmo era uma proteção, espécie de capacete, que protegia a cabeça de soldados envolvidos nas batalhas. Em 2021, na luta contra a Covid-19, Elmo é o nome de um capacete de respiração assistida – fruto de pesquisa e inovação no Ceará – que tem recuperado pacientes da insuficiência respiratória, consequência de complicações da doença.

O servidor público Fábio Santiago, de 39 anos, é um dos inúmeros sobreviventes da batalha contemporânea contra um inimigo invisível, que impõe a todos o uso correto de máscara, a lavagem constante das mãos e o distanciamento social. Residente de Chorozinho, na Região Metropolitana de Fortaleza, Santiago teve a chance de utilizar o Elmo no Hospital Estadual Leonardo da Vinci.

“Eu estava na UTI quando surgiu a luz que foi utilizar o capacete Elmo. Foram cinco dias de tratamento, sempre evoluindo. O Elmo permitiu que eu voltasse pra minha família. Espero que ele possa devolver muitas outras pessoas às suas famílias e para continuarem suas histórias. O capacete salva vidas!”, diz emocionado ao lembrar que estava a ponto de ser intubado, com o comprometimento de 80% dos pulmões.

Para o dispositivo recuperar pacientes do Ceará, como Santiago, e de outros estados brasileiros – sim, o capacete cearense já é utilizado em lugares como Goiás, Amazonas e Maranhão –, pesquisadores cearenses de várias áreas estavam diante da pressão de buscar uma solução local, de rápido desenvolvimento e que pudesse salvar vidas. Na ocasião, início da pandemia, em 2020, cientistas do mundo inteiro descobriam, a cada dia, como o novo vírus agia. Já os governos e autoridades sanitárias corriam contra o tempo para sanar o dilema da falta de respiradores mecânicos, essenciais para manter a atividade pulmonar em casos de maior gravidade da doença.

A busca por uma solução cearense

Além de caros, os equipamentos eram escassos e a indústria da saúde era desafiada para atender à alta demanda gerada ao redor do mundo. No Ceará, o Governo adquiriu 700 ventiladores chineses para atender os cearenses de imediato, mas persistia a inquietude de um grupo ávido por inovação em saúde.

Em abril de 2020, uma reunião na Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) tinha como ponto de partida a produção própria de um respirador mecânico. A capacidade local não foi questionada, mas o tempo era um entrave. A produção de ventiladores mecânicos teria de sair do papel o mais rápido possível. “Foi aí que disse que era inviável. E sugeri um ‘helmet’ que era adotado em outros países”, relembra Marcelo Alcantara, superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), acerca do momento em que sugeriu o desenvolvimento do capacete Elmo.

Um dos últimos protótipos do capacete de respiração assistida. Testes aprimoraram o desenvolvimento do aparelho no Senai

O dispositivo foi inspirado na experiência de médicos italianos que usaram máscaras de mergulho no tratamento de pacientes com Covid-19 e no uso de ‘helmet’, capacetes hiperbáricos, utilizados em doenças de descompressão na Europa e nos Estados Unidos.

Assim foi consolidada a força-tarefa que reuniu Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), ESP/CE e Funcap, com a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Ceará), a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Universidade de Fortaleza (Unifor), com o apoio do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) e Esmaltec. A união de especialistas da iniciativa público-privada transformou a idealização de um equipamento em um produto de menor custo que os respiradores e que pudesse ser produzido em larga escala no estado cearense.

Desenvolvimento e consolidação do equipamento

Quando os pesquisadores começaram a desenvolver o Elmo, boa parte das reuniões eram virtuais por causa das circunstâncias da pandemia. Até uma impressora 3D foi utilizada para produzir peças dos primeiros experimentos. O foco era que o Estado tivesse todos os componentes e matéria-prima necessários para a produção.

 

“Se o Elmo fosse feito sem análise de impacto industrial, considerando custo e capacidade de produção, teria levado mais tempo para ficar pronto. No entanto, tudo isso foi pensado de forma a ser desenvolvido o mais rápido possível, sem perda de qualidade”, destaca o professor Herbert da Rocha, um dos coordenadores do Laboratório de Pesquisa e Inovação em Cidades (Lapin) da Unifor.

Foram desenvolvidos dez protótipos, considerando diferentes dimensões e volumes, a partir de três conceitos alternativos do capacete: um de base flexível, um de base rígida com conectores na base e outro com conectores no capuz, o que foi consolidado. Após 11 dias, começaram os testes do dispositivo em voluntários, muitas vezes integrantes da própria equipe.

O engenheiro clínico David Guabiraba, consultor da Unidade de Educação da Fiec, foi um dos que participaram desta etapa. “O Elmo teve uma trajetória linear de muitos acertos. Nosso desafio foi dentro de uma janela de tempo muito pequena, realizando testes em quantidade suficiente para que a gente pudesse catalisar o mais rápido possível um protótipo que pudesse ser utilizado”, diz. “Muitas vezes, eu ia pro Senai e preparava o laboratório, era o voluntário dos testes, ou ia aos domingos para viabilizar alguns detalhes. O Elmo foi resultado de estresses investigativos que levaram hoje a um equipamento plenamente seguro, com resultados previsíveis, graças ao esforço multidisciplinar das pessoas envolvidas”, rememora.

Capacete Elmo

Feito com silicone e PVC, o dispositivo foi desenvolvido para oferecer oxigênio em alto fluxo para o paciente internado. O equipamento envolve toda a cabeça do paciente e é fixado no pescoço em uma base que veda a passagem de ar. Com a aplicação de oxigênio e ar comprimido, o Elmo gera uma pressão positiva (em relação à pressão atmosférica) que ajuda pacientes com dificuldade de oxigenação.

Dessa forma, é indicado para o tratamento de pacientes com quadro clínico leve e moderado, mas também auxilia casos que começam a evoluir para gravidade, de modo a evitar também a intubação do paciente.

O capacete também proporciona que o gás carbônico não seja expelido no ambiente, o que é mais uma vantagem. Não havendo contaminação, o aparelho garante a maior segurança dos profissionais de saúde. Com sua produção firmada, dois anos foram reduzidos a três meses, período no qual o equipamento passou por concepção, desenvolvimento e consolidação do protótipo a partir dos testes de usabilidade para averiguar sua adequação e conforto em voluntários sadios. O próximo passo era testar sua eficácia em pacientes infectados pelo coronavírus.

Maria Irismar foi a primeira paciente a se recuperar com a terapia do Elmo na fase de testes clínicos. Idealizador do capacete, o superintendente da ESP/CE Marcelo Alcantara, avaliou a total recuperação da paciente

Testes clínicos

“Lembro quando foi postado o vídeo no grupo (de WhatsApp, com pesquisadores do projeto) da primeira paciente que usou o Elmo na fase de testes clínicos. Quando o projeto avançou, foi uma sensação indescritível”, lembra Herbert sobre um vídeo que circulou, à época, de Maria Irismar Morais, de 70 anos, sentada num leito de enfermaria no Hospital Estadual Leonardo da Vinci (Helv) com o capacete fixado.

“Eu não sei como, mas o vírus chegou até mim. Passei cinco dias estabilizada, nem ficava boa, nem melhorava. Quando, de repente, chegou a equipe do capacete Elmo. Eu o chamo de capacete da minha salvação. Com dois dias, eu já estava recuperada”, destaca a aposentada, que foi a primeira paciente a receber alta hospitalar após o uso do aparelho. Ela recebeu o tratamento na fase de testes clínicos, apenas três meses após o início de sua produção.

Aprovada pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), do Conselho Nacional de Saúde (CNS), a pesquisa clínica contou com dez pacientes do Helv de 37 a 76 anos. O estudo, que levou cinco meses para ser finalizado, validou as funcionalidades e usabilidade do capacete, bem como sua eficácia no tratamento de insuficiência respiratória causada pelo coronavírus.

O resultado foi a redução em 60% da necessidade de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Apenas quatro de dez pessoas que usaram o capacete no Helv precisaram ser transferidas para UTIs.

“Os pacientes melhoraram a oxigenação e tiveram evolução clínica. Esperávamos que metade deles se beneficiassem, mas foi acima do esperado. E não eram casos leves, todos utilizavam doses altas de oxigênio. Estavam numa situação limítrofe, com risco de internação em leitos de UTI, e melhoraram relativamente rápido”, conta Marcelo Alcantara.

Produção em larga escala

No fim de outubro de 2020, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a produção em escala industrial do equipamento à Esmaltec, empresa do Grupo Edson Queiroz. Os testes clínicos eram necessários para o aval, assim como adequações do local de fabricação.

“Foi um grande desafio nos adaptarmos para manufatura de um produto de uso hospitalar. Tivemos de aprender muitas coisas, adequamos instalações com a criação de uma ‘sala limpa’, investimos em moldes únicos e exclusivos para peças plásticas, treinamos e capacitamos pessoas num curto intervalo de tempo, mas sabíamos que precisávamos participar do projeto e contribuir com a sociedade. Após a aprovação da Anvisa, iniciamos a produção em escala industrial e estamos continuamente aumentando nossa capacidade produtiva. Já triplicamos os números diários de fabricação, com o apoio dos nossos fornecedores”, ressalta Marcelo Pinto, diretor superintendente da empresa.

Atualmente, o capacete Elmo é utilizado em diversas unidades de saúde, tanto públicas quanto privadas. Por ser um equipamento novo, a Escola de Saúde Pública do Ceará capacita os profissionais de saúde para o manejo do dispositivo. E assim o Elmo segue salvando vidas. Uma prova de que ciência e inovação fazem diferença em qualquer momento da sociedade, principalmente num contexto de pandemia. “O Brasil sofre com a Covid-19, mas sofre muito mais por não investir pesadamente em educação, ciência e tecnologia. É isso que nós precisamos. Um país rico é um país que tem cientistas, que faz inovação”, sublinha o superintendente da ESP/CE.

Jackson de Moura - Ascom ESP/CE - Texto
Tatiana Fortes e Arquivo Pessoal - Fotos David Tomás - Arte Gráfica