Cigarrinhas verdes invadem ruas e lares icoenses ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA TRIBUNA SHOW

allowfullscreen="true">allow="autoplay; clipboard-write; encrypted-media; picture-in-picture; web-share" allowfullscreen="true">

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Cigarrinhas verdes invadem ruas e lares icoenses

 


Um inseto verde, de aproximadamente três milímetros de comprimento, vem dividindo espaço com os icoenses. O "penetra" faz parte da família Cicadellidae, que está entre as dez maiores ordens em número de insetos: são 21 mil espécies descritas. Identificados popularmente como cigarrinhas, estes insetos são atraídos pela luz e não representam nenhum perigo à saúde humana. Como uma espécie cosmopolita, pode ser encontrada no mundo todo.

Os icoenses perceberam a infestação na noite de hoje (09), ao circularem pelas ruas, motociclistas foram os que mais sentiram dificuldades durante a pilotagem. Em varias ruas e residênciais foram registados a presença de nuvens dos insetos.

Segundo o entomologista Márcio Félix, pesquisador do Laboratório de Biodiversidade Entomológica do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), vários fatores podem ter contribuído para o aumento da incidência populacional desses insetos, entre eles a longa estiagem.

Cigarrinha verde

(Empoasca kraemeri)

Culturas Afetadas: Algodão, Amendoim, Batata, Ervilha, Feijão, Feijão vagem, Mamão, Pinhão-manso, Soja

Estes insetos sugadores de seiva causam prejuízos decorrentes de suas picadas, onde injetam toxinas nas plantas atacadas. Esta espécie ocorre em várias culturas de importância econômica, como algodão, amendoim, batata, ervilha, feijão, feijão-vagem, soja, tomate, trigo.

Danos: Os danos provocados por esta cigarrinha são de ordem física, como conseqüência da penetração do estilete no floema da planta, ocasionando a desorganização e granulação das células e obstrução dos vasos condutores de seiva. Além disto, ocorre também a injeção de substâncias toxicogênicas durante a alimentação. Altas infestações da praga levam ao "enfezamento" das plantas, que passam a mostrar as bordas dos folíolos viradas para baixo. Em casos mais severos, ocorre o amarelecimento das margens dos folíolos e posterior secamento destas estruturas, chegando também a causar redução no porte das plantas.

Controle: Controle químico das ninfas e adultos com inseticidas registrados para as culturas.


Por: Gustavo Veras

Imagens dos insetos em Icó - Imagens Portal Icó News

0 comentários:

Postar um comentário