Polícia Civil prende suspeito de cometer feminicídio em Crateús ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA TRIBUNA SHOW

Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Polícia Civil prende suspeito de cometer feminicídio em Crateús


Nessa segunda-feira (30), data em que completam cem dias da morte de Maria Gomes de Lima (43), que era conhecida como Cláudia, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Crateús, deu uma resposta efetiva ao capturar o homem apontado como autor do crime. João Vieira Cavalcante Júnior (45), que já respondia por tentativa de homicídio, foi preso na manhã de ontem, no bairro São José, em Crateús, na Área Integrada de Segurança 16 (AIS 16) do Ceará. Os detalhes da ação policial foram divulgados na manhã desta terça-feira (01), em coletiva de imprensa, realizada na sede da Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza.

As investigações apontam que João Vieira, após cometer o crime, passou alguns dias escondido nas localidades de Carrapateira e na Baixa do Juazeiro, ambos em Crateús e em Baixão no município de Castelo do Piauí, no Estado vizinho. Conforme o delegado Matheus Araújo, delegado regional de Crateús e responsável pelas investigações, após o crime, cometido na frente de um dos filhos do casal, o suspeito fugiu para uma região de mata.

O delegado confirmou ainda que o homem transitou por algumas regiões de Crateús, “onde recebia apoio familiar”, disse. Ainda conforme o delegado, desde o dia do crime a Polícia realizou diligências para localizá-lo. Foram feitas ações conjuntas com a Polícia Militar do Ceará (PMCE), que contaram com o apoio da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Após o período escondido, o homem viajou, em um transporte clandestino, para São Paulo, onde ficou homiziado em uma pousada na região da Barra Funda. Por lá, o homem buscou emprego e tentou apoio familiar, mas não conseguiu e por ficar sem dinheiro, resolveu voltar para Crateús, no último domingo (29). Na segunda-feira (30), ele foi preso. As investigações apontaram que durante a fuga, João Vieira usou os documentos de um irmão dele, já falecido, com quem ele possui semelhanças físicas.

Os policiais civis realizaram campana nas proximidades da casa onde o homem estava escondido. Quando familiares do suspeito abriram a porta, os policiais entraram na residência e ele tentou fugir, porém foi alcançado e não reagiu. Rapidamente, ele foi localizado e conduzido para a Delegacia Municipal de Novo Oriente onde foi ouvido. De lá, ele foi encaminhado para uma cadeia pública, onde ficou à disposição da Justiça.

Durante coletiva de imprensa, o delegado ressaltou a importância das vítimas ao menor sinal de violência doméstica, procurarem uma delegacia e registrarem a ocorrência. “Quero salientar que as mulheres precisam denunciar, em qualquer sinal mínimo de violência sofrida. Quando se sentirem ameaçadas, desrespeitadas, procurem a Polícia Judiciária, a Polícia Militar, o Ministério Publico e Judiciário. Existe uma rede de apoio para ajudá-las. Não deixem chegar a este ponto, neste caso, em específico, já havia um histórico de violência e que infelizmente chegou a esse desfecho”, ponderou Matheus.
Outra prisão

No dia 3 de setembro, os policiais civis já haviam capturado Francisco Neyvisson Pereira (23), apontado com o condutor da motocicleta utilizada no crime. Ele foi localizado na zona rural da cidade, enquanto pescava em um açude da região. Durante a ação policial, o suspeito não esboçou reação. Contra ele, havia um mandado de prisão temporária, representado junto ao Poder Judiciário após investigações conduzidas pela Delegacia Regional de Crateús.
O crime

Maria Gomes de Lima retornava de um expediente de trabalho, no dia 22 de agosto deste ano, quando foi atingida por disparos de arma de fogo. A vítima estava na garupa de uma motocicleta pilotada por seu filho, quando foi lesionada. Na ocasião, João Vieira estava em uma motocicleta conduzida por Francisco Neysisson. Desde então, a Polícia Civil passou a realizar diligências no sentido de capturar os responsáveis pelo feminicídio.

Por: SSPDS.

0 comentários:

Postar um comentário