Governador do Ceará afirma que primeiro lote de vacina contra Covid que deve chegar ao estado será da Astrazeneca ~ TribunaIguatu.com

PROGRAMA TRIBUNA SHOW

Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Governador do Ceará afirma que primeiro lote de vacina contra Covid que deve chegar ao estado será da Astrazeneca


O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou nesta quinta-feira (17), que o primeiro lote de 1,7 milhão de doses da vacina contra a Covid-19 que deve chegar ao Ceará será da farmacêutica AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford. De acordo com o chefe do Executivo cearense, as vacinas devem ser recebidas pelo estado já no primeiro semestre de 2021.

“Depois de validada pela Anvisa, pelos órgãos competentes, que garantam a segurança da vacina”, disse Camilo, em entrevista ao jornal Bom Dia Ceará, no Sistema Verdes Mares.

A vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca foi a primeira a ter resultados preliminares de fase 3 de testes divulgados por uma revista científica. Os dados foram publicados na "The Lancet", uma das mais importantes do mundo.

Na quarta-feira (16), Camilo participou do lançamento do plano nacional de operacionalização da vacina contra a Covid-19, de responsabilidade do Governo Federal.

Vacinação em fevereiro

O governador do Ceará também se reuniu, nesta semana, com o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), para discutir a aquisição da vacina produzida no Instituto Butantan, em parceria com a fabricante chinesa Sinovac.

O plano nacional prevê a vacinação primeiro de grupos considerados prioritários, por estarem mais expostos ao coronavírus ou serem mais vulneráveis à doença. Segundo o governo, em todo o Brasil 51 milhões de pessoas serão vacinadas nessa etapa, o que vai exigir 108, 3 milhões de doses.

Cada pessoa toma duas doses, e há uma perda de 5% de vacina decorrente dos processos de transporte e aplicação.

No Ceará, a vacinação prioritária está dividida em quatro fases:

Primeira fase: trabalhadores da saúde, Idosos a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena.

Segunda fase: pessoas de 60 a 74 anos.

Terceira fase: pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras);

Quarta fase: professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.



Plano de vacinação contra Covid-19 no Ceará deve imunizar 1,79 milhão de pessoas — Foto: Governo do Estado do Ceará/Reprodução

Oferta de vacinas no país

Inicialmente, o plano leva em conta apenas a vacina desenvolvida em parceria da Universidade de Oxford com o laboratório AstraZeneca. O Brasil tem acordo para receber 100 milhões de doses dessa vacina até julho. No segundo semestre, a previsão é de que a Fiocruz, parceira de Oxford e da AstraZeneca, produza 160 milhões de doses.



Plano nacional de vacinação contra a Covid-19: Pazuello diz que todos os estados vão ser tratados igualmente

Mas o governo já informou que pretende comprar todas as vacinas avalizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além da Fiocruz, o Instituo Butantan, ligado ao governo de São Paulo, também vai produzir uma vacina contra a Covid-19. No caso do Butantan, é a vacina Coronavac, produzida pelo laboratório Sinovac.

Por: G1-CE.

0 comentários:

Postar um comentário