Detalhes da prisão de Ticiano Tomé: Prefeito empreendeu fuga mas foi pego pela Polícia ~ TribunaIguatu.com
Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Detalhes da prisão de Ticiano Tomé: Prefeito empreendeu fuga mas foi pego pela Polícia


Quase sete meses após o assassinato do então Prefeito de Granjeiro, João Gregório, conhecido como João do Povo, o inquérito de apuração da morte está sendo finalizando pela Polícia Civil do Crato.
Veja imagens da prisão do Prefeito de Granjeiro, Ticiano Tomé, suspeito de participar da morte do ex-prefeito, João Gregório 
Um número em torno de 60 policiais participaram da Operação Granjeiro, que cumpria mandatos no Cariri, em Fortaleza e em Salgueiro (PE) nesta quarta-feira (15), entre eles o de prisão do atual prefeito, Ticiano Tomé, do pai dele, Vicente Félix, e do tio, José Plácido.
Em Fortaleza, o Delegado Ricardo Pinheiro acompanhou a operação, onde Ticiano tentou fuga quando avistou a polícia. “Ele ao ver a equipe tentou empreender fuga, foi contido alguns metros após e se desfez de celulares, chave de veículo e alguns itens”, afirmou o delegado.
Segundo Luis Eduardo da Costa, Delegado Regional do Crato “o inquérito está bem robusto e já temos como apontar a participação de cada um”, afirma.
No total, foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão, sendo 3 de prisão domiciliar e 9 de prisão preventiva, distribuídos nas cidades de Salgueira, Granjeiro, Crato, Juazeiro do Norte e Fortaleza.
Com o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), além de Vicente Félix, foi preso em Granjeiro Francisco Maximiliano, conhecido como Max.
Já o tio de Ticiano, irmão de Vicente Félix, empreendeu fuga deixando para trás um revólver calibre 38 com munição. Segundo o delegado Luis, a Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) foi acionada para captura do suspeito.
Mandatos de prisão também foram cumpridos em Juazeiro do Norte, e de prisão domiciliar e busca e apreensão em Crato. “Resta cumprir o mandado do tio do Prefeito”, afirma o Delegado.
Uma quantia em dinheiro foi encontrada na casa de um dos suspeitos, Geraldo Freitas, que pode ter sido usado para o financiamento do do crime. “Já temos autores, executores, quem pilotou o veículo, falta fazer o levantamento exato do financiamento, mas já temos muitas coisas”, diz o Delegado Luis, afirmando que acredita que com o material colhido será possível o fechamento do inquérito.
Um policial militar também foi preso. Segundo a civil, ele não teria participado diretamente, mas pela apuração da policia estaria diretamente envolvido na articulação do crime. O suposto “braço direito” do PM, Anderson Maurício, também foi preso hoje.
Todo o material apreendido vai servir para fechar o inquérito, e não há a intenção de ouvir os suspeitos presos, a não ser que eles queiram fazer uso de algum benefício de fala, como explica o Delegado Luis.
Por: Badalo.

0 comentários:

Postar um comentário