Estudo aponta que 8,7% da população de Fortaleza teve contado com o novo coronavírus ~ TribunaIguatu.com
Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

EDITAIS E PUBLICAÇÕES - www.tribunaiguatu.com

terça-feira, 26 de maio de 2020

Estudo aponta que 8,7% da população de Fortaleza teve contado com o novo coronavírus

Foz do Iguaçu monitora segundo caso suspeito de coronavírus


Ainda segundo o estudo, o Brasil tem sete vezes mais casos de coronavírus do que apontam as estatísticas oficiais.


Uma pesquisa coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) aponta que 8,7% da população de Fortaleza tem Covid-19 ou já esteve contaminada pelo novo coronavírus. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que a capital cearense tenha 2,6 milhões de habitantes, portanto, pelos menos 226 mil pessoas tiveram contato com o vírus, segundo o estudo.


A quantidade de pessoas infectadas segundo o estudo é bem maior do que a registrada oficialmente pelo Governo do Estado do Cerá, que contabiliza 36.185 casos até esta segunda-feira (25).


No Nordeste, Fortaleza e Recife têm os maiores índices de infectados.


Anticorpos


Fortaleza está em 4º lugar entre as 10 capitais com percentuais mais altos da população com anticorpos para a Covid-19 (8,7%), segundo o estudo da UFPel. Dessas capitais, cinco são da Região Norte, três são da Região Nordeste e duas do Sudeste. Belém (PA), Manaus (AM) e Macapá (AP) estão nas três primeiras posições do ranking.


No Ceará, 56,5% da população cumpriu o distanciamento social, de 14 a 21 de maio, segundo as respostas dos participantes ao questionário aplicado pelos pesquisadores. Nos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina, mais de 65% dos entrevistados relataram obedecer as medidas de distanciamento.

Brasil

Ainda segundo o estudo, o Brasil tem sete vezes mais casos de coronavírus do que apontam as estatísticas oficiais, ou seja, para cada caso confirmado de novo coronavírus, existem sete casos reais na população. Isso quer dizer que, num grupo de sete pessoas com o coronavírus, apenas uma sabe que está infectada.

Como o estudo foi feito

Esta é a primeira de três fases do levantamento, realizada entre 14 e 21 de maio, para testar a presença da doença na população. Os pesquisadores do Ibope, com equipamentos de proteção individual, foram a campo e fizeram 25.025 entrevistas. Aplicaram também testes rápidos para o coronavírus em 133 municípios de todas os estados do país, incluindo o Distrito Federal. Em 90 municípios, conseguiram testar pelo menos 200 pessoas. Nessas cidades, vivem mais de 54 milhões de pessoas, pouco mais de um quarto da população brasileira.

No Ceará, foram entrevistadas e testadas 947 pessoas em Fortaleza, Crateús, Sobral e Quixadá. Os testes realizados são do tipo que registram anticorpos para o vírus, e não do tipo RT-PCR, que detecta o próprio coronavírus. Os pacientes que tiveram resultados positivos, por tanto, já tinham passado da fase aguda da doença e adquirido alguma imunidade contra a Covid-19 (veja na reportagem abaixo)

Números da plataforma estadual

O Ceará registra 2.493 mortes por Covid-19, 46.893 casos sob investigação e 36.185 confirmados, de acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), conforme dados atualizados às 17h39 desta segunda-feira (25). Foram 169 novas confirmações de óbitos em relação ao balanço divulgado às 17h20 do domingo (24), quando havia 2.324 mortes.

A quantidade de pessoas recuperadas em todo o estado é de de 22.456 pessoas.

O município de Caucaia, na Grande Fortaleza, soma 1.226 casos confirmados de Covid-19 e registra 637 óbitos em decorrência da doença. A cidade é a mais afetada pelo novo coronavírus no Ceará, depois da capital cearense. As cidades de Sobral e Maracanaú também já ultrapassaram mil casos de infecção pelo novo coronavírus, com 1.159 e 1.038 ocorrências respectivamente.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Por: G1-CE.

0 comentários:

Postar um comentário