Maio 2020 ~ TribunaIguatu.com
Para Ver Mais Vídeos No Nosso Site CLIK AQUI E VEJA MAIS

domingo, 31 de maio de 2020

Covid-19: Várzea Alegre terá bloqueios nas entradas da cidade a partir de segunda

Com aumento da testagem e comprovação de 97 casos de covid-19, o Governo de Várzea Alegre tomou a decisão de implementar novas medidas para frear o avanço da doença provocada pelo novo coronavírus, que já tem transmissão comunitária no município.

Após reunião com o gabinete de crise na noite de sexta-feira, 29, o prefeito Zé Helder anunciou neste sábado, 30, que a partir de segunda-feira, 1º de junho, haverá bloqueio nas entradas da cidade.

Nesses bloqueios as pessoas, de carro ou de moto, serão abordadas por equipes de trabalho com apoio da Polícia Militar. Para transitar, a pessoa terá de apresentar documentos e comprovante de que é morador da cidade.  “Qualquer pessoa seja da cidade ou zona rural, para passar nessas barreiras terão que apresentar documentos que comprovem que moram na cidade. Caso contrário, não terão acesso”, disse.

Veículos em trânsito para cidades da região, serão escoltados das entradas às saídas da cidade para seguirem a viagem.

A medida mais dura tomada até agora pelo governo local em relação a frear o avanço do novo coronavírus deve durar 10 dias.

Zé Helder voltou a cobrar dos cidadãos varzealegrenses que só saiam da casa em situação de muita necessidade.


O prefeito apontou que a melhor medida para frear o avanço do covid-19 é aumentar a testagem, identificando os infectados e encaminhando para isolamento e tratamento, evitando que essa pessoa passe a doença para frente. “Isso dá mais condição de controle da situação”. Ele defendeu aumentar as testagens em reunião com o governador Camilo Santana.

Ainda falando sobre o bloqueio, o prefeito explicou que valerá para o trânsito no centro da cidade, que terá áreas interditadas. O acesso a esses locais será permitido para motoboys e pessoas que estão atuando no delivery.

Zé Helder disse que além dessas movas iniciativas, o governo continua com as ações das barreiras sanitárias, do Centro de Comando, da equipe volante e de desinfecção das ruas.

O prefeito destacou que esse bloqueio não é um lockdown, mas, caso seja necessário, tomará as medidas que a situação exigir.


Como boas notícias, Zé Helder destacou que a testagem e identificação aumenta o controle e contribui para a diminuição de casos, e que os colaboradores da saúde que testaram positivo para a doença, todos estão bem.

Assessoria de Comunicação
Reportagem: Marco Filho
Fotos: Leandro Correia






sexta-feira, 29 de maio de 2020

Moradores são beneficiadas com kits emergenciais em Várzea Alegre


Os kits apresentam produtos de alimentação e de limpeza.  Serão mais de 600 famílias beneficiadas.

Começou nesta terça-feira (26), a entrega dos kits emergenciais pela Secretaria de Assistência Social de Várzea Alegre à moradores em situação de vulnerabilidade social. Os primeiros bairros contemplados foram Varjota, Alto do Tenente, Juremal, Dona Rosinha e Patos. Nesses locais, de 148 beneficiários inscritos para receberem os kits, 30 não compareceram aos pontos de entrega, mas podem requisitar a cesta básica na secretaria de Assistência Social.

A secretária de Assistência Social, Laura Maria Alves, destacou que a entrega dos kits atenderá a mais de 600 famílias em condição de vulnerabilidade social nesse período de enfrentamento aos efeitos provocados pela pandemia do novo coronavírus. “O benefício é para a pessoa que se enquadra no perfil do programa, com renda familiar per capita de até R$ 190”.

A entrega dos kits acontecerá até o próximo mês de julho. “Essa assistência da Prefeitura à população mais carente é fundamental para que passemos por esse momento de pandemia do coronavírus com melhores condições de saúde, alimentar e de higiene”, disse.


Por: Diário do Nordeste.

Ceará tem quase 38 mil casos de Covid-19, com 2.743 mortes registradas


O número de pacientes recuperados é de 25.766, de acordo com a plataforma IntegraSUS, atualizada às 9h36 desta sexta-feira (29).


O Ceará contabiliza 2.743 mortes provocadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) nesta sexta-feira (29). Os infectados pela Covid-19 são 37.954, conforme a atualização das 9h36 da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do estado (Sesa).


A capital, Fortaleza, é a cidade que concentra o maior número de ocorrências do estado, com 21.390 pessoas acometidas pela enfermidade e 1.809 pessoas que perderam a vida em razão da doença.


Caucaia, Sobral e Maracanaú são municípios que também registraram mais de mil casos, como , 1.283, 1.191 e 1.070 registros, respectivamente. O números óbitos nestes locais são, na mesma ordem, 78, 57 e 95.


A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) é de 46.707 e em todo o estado houve a recuperação de 25.766 pessoas.


Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.


Plano de retomada prevê liberação de setores do comércio já na 1ª fase


Centro de Fortaleza permaneceu com as portas de lojas fechadas durante o período de isolamento social. — Foto: José Leomar/Sistema Verdes Mares


Centro de Fortaleza permaneceu com as portas de lojas fechadas durante o período de isolamento social. — Foto: José Leomar/Sistema Verdes Mares


O governador do Ceará, Camilo Santana, divulgou nesta quinta-feira (28) os detalhes do plano de retomada das atividades econômicas do estado em recuperação aos efeitos da epidemia do novo conoravírus (SARS-CoV-2). A partir do dia 1º de junho até o dia 7, haverá uma fase de transição, seguida por outras quatro, cada uma com 14 dias, com a divisão das atividades liberadas para retomarem por grupos. Já na primeira fase, setores do comércio já poderão funcionar.


Também na primeira fase serão permitidas a atuação da indústria química, 30% da cadeia da construção civil em obras com até 100 operários; lojas de construção civil; cadeia da saúde (óticas, escritórios, clínicas de dentistas); e cuidados pessoais, como cabeleireiros e barbeiros.


Todo o processo será avaliado e poderá sofrer mudanças, contudo. Segundo Camilo, o plano de retomada é comportamental, baseada em critério de risco sanitário e outro econômico e social. As fases serão especificadas por decretos.


Por: G1-CE.

Ceasa-CE e Mais Nutrição distribuem mil sopas, mil máscaras e mil pães


O Programa Mais Nutrição e a Ceasa-CE doaram, na manhã desta quinta- feira (28), mil sopas, mil máscaras e mil pães para pessoas carentes que circulam pela central de abastecimento em busca de alimentos para sobreviver. A ação também contou com a parceria da Associação dos Permissionários da Ceasa-CE (Assucece), da Associação dos Funcionários da Ceasa-CE (Ascece), além de empresários, permissionários e funcionários individuais doadores.
A iniciativa faz parte do cronograma de ações do Mais Nutrição, inserido no Programa Mais Infância Ceará, do governo do Ceará. Inaugurado há quase um ano na Ceasa-CE, o Mais Nutrição conta com doações dos permissionários da central de abastecimento. Ao longo deste período, foram doadas mais de 350 toneladas de alimentos, beneficiando mais de 14.500 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, assistidos pelas 62 entidades beneficiadas com o Mais Nutrição.
Além das doações realizadas pelo Mais Nutrição para as entidades cadastradas pela Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), este ano o Mais Nutrição também incluiu em suas doações municípios que foram afetados pelas enchentes no início do ano, como Hidrolândia, Crateús, Quiterianópolis e Novo Oriente. Agora chegou a vez de ajudarmos as pessoas em situação de vulnerabilidade social que circulam pela Ceasa-CE em busca de alimentos,” destaca Maximiliano Quintino, presidente da central de abastecimento.
Por: Governo do Estado do Ceará.

Águas do São Francisco já podem chegar ao Ceará

Avanço das obras no Eixo Norte da transposição já possibilita a passagem das águas do São Francisco para o Ceará
As águas do “Velho Chico” já podem chegar ao Ceará. O Ministério do Desenvolvimento Regional anunciou, nesta quinta-feira (28), a conclusão das obras físicas que garantem funcionalidade ao Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco.
O trecho concluído permite a integração entre os reservatórios Milagres, em Verdejante – Pernambuco, e Jati, em território cearense. Com a chegada das águas a Região Metropolitana de Fortaleza será atendida a partir da obra estadual do Cinturão das Águas (CAC), que já está com o seu trecho emergencial concluído.
Segundo o superintendente de Obras Hidráulicas do Ceará, Yuri Castro, a conclusão dessas obras representa para o Ceará um vazão firme de aproximadamente 12mil l/s (litros por segundo). “Essa vazão representa uma segurança hídrica para praticamente metade da população do estado, já que a água do PISF tem como objetivo maior o abastecimento humano”.
As águas serão transportadas pela obra estadual até o município de Missão Velha, no Riacho Seco, e depois seguirão pelo Rio Salgado até o Rio Jaguaribe, chegando ao Castanhão para serem distribuídas para Região Metropolitana de Fortaleza e Região Jaguaribana. “Toda essa população terá uma segurança hídrica com praticamente 100% de garantia”, garante o superintendente.
Vale ressaltar que a a chegada das águas representa não só segurança para o abastecimento humano como também para os outros usos, que utilizará, com mais liberdade, os reservatórios existentes nas regiões. Com isso a irrigação, aquicultura, agricultura e outros meios poderão utilizar de um percentual maior de água, de acordo com decisões tomadas pelos conselhos.
A conclusão desta etapa do Projeto São Francisco é mais um avanço para que o povo cearense possa ter a tranquilidade do acesso à água e mais oportunidades para o desenvolvimento”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Atual Situação

Atualmente, o Reservatório Milagres está em processo de enchimento. Quando cheio, as águas do Rio São Francisco atravessarão a divisa entre Pernambuco e o Ceará e deverão começar a encher o Reservatório Jati no mês de junho. A previsão é que, em agosto, sejam iniciados os testes de entrega de água do ‘Velho Chico’ ao Cinturão das Águas do Ceará (CAC), obra executada pelo Governo Estadual. O trecho prioritário de 53 km do Cinturão já está apto à passagem das águas do Eixo Norte para a Bacia do Rio Jaguaribe.
Por: Governo do Estado do Ceará.
Marina Filgueiras - Ascom SRH Texto.

Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais inicia com 17 setores contemplados a partir de 1º de junho

Governador Camilo Santana anunciou as medidas. Autorizações obedecem a critérios técnicos, sanitários e epidemiológicos. Consultórios médicos e odontológicos serão liberados e obras poderão contar com até 100 operários, por exemplo. Fase inicial terá uma semana de avaliação
O Governo do Ceará implementa, a partir do próximo dia 1º de junho, o Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais. Detalhes da nova estratégia foram apresentados pelo governador Camilo Santana, na tarde desta quinta-feira (28), em anúncio via redes sociais. O processo conta com uma fase inicial de transição, em que estão contemplados 17 setores, e mais quatro fases de abertura, obedecendo a critérios técnicos, sanitários e epidemiológicos. O decreto de isolamento social que minimiza os efeitos da Covid-19 no estado será mantido, bem como a atuação de serviços essenciais.
Camilo Santana destacou o desafio de aliar a prioridade do momento, salvar vidas, com a necessidade de retomar o ritmo de crescimento da economia local. Ele frisou que o plano só terá sucesso em caso de compreensão por parte de empresas e população. “Para que esse plano possa funcionar é fundamental nós respeitarmos os decretos. Não adianta começar a abrir e daqui a pouco, se os casos aumentam, ter que retroceder a um processo mais rígido. Sempre tenho dito que nossa prioridade é salvar vidas. É fundamental o compromisso das empresas com os funcionários e o comportamento da população”.

O governador salientou que o plano foi gestado pelo Grupo de Trabalho Estratégico, envolvendo o poder executivo, setor produtivo e sociedade civil, tudo orientado pelo Comitê de Saúde do Estado. O titular da Secretaria da Saúde, Dr. Cabeto apresentou dados que apontam para a estabilização do quadro da Covid-19 no Ceará, com sinais de redução, o que gerou a possibilidade de que o plano pudesse ser colocado em prática.

Faseamentos

Cada estágio obedece a critérios que precisam ser atingidos para se alcançar a abertura do passo seguinte nas medidas. A Fase de Transição começa na segunda-feira (1º) e segue por uma semana. Nela está liberada a operação de 100% da Cadeia de Saúde (incluindo consultórios médicos e odontológicos), 31% da Cadeia da Construção Civil, com até 100 operários por obra e 30% de efetivo no setor produtivo, além de percentuais dos setores: Indústria Química e Correlatos; Artigos de Couros e Calçados; Indústria Metalmecânica e Afins; Saneamento e Reciclagem; Indústria e Serviços de Apoio; Energia; Têxteis e Roupas; Comunicação, Publicidade e Editoração; Artigos do Lar; Agropecuária; Móveis e Madeira; Tecnologia da Informação; Logística e Transporte; Automotiva; e Esporte, Cultura e Lazer.
Segundo os critérios, as áreas totalizam a abertura de 66.562 empregos formais em todo o Estado. Com exceção da Cadeia de Saúde, que opera em 100%, os demais setores terão trabalho presencial variando entre 20% e 30% do efetivo.
A primeira fase inicia em 8 de junho e soma 14 dias de duração. As etapas seguintes dependem do atendimento aos critérios de análise, tendo, cada uma delas, 14 dias de duração. Os gatilhos para a transição destas fases levam em consideração a taxa decrescente de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinados ao tratamento da Covid-19, de internações, de óbitos pela doença, e a territorialidade dos casos. Com o retorno pleno das atividades, 1.472,504 empregos formais voltarão a circular.

Monitoramento

Além dos critérios especificados para cada etapa, a transição também será condicionada às normas de monitoramento. Serão realizados inquéritos sorológicos e testes nas empresas liberadas, via Secretaria da Saúde, verificados o cumprimento dos protocolos das empresas, e ainda inquéritos epidemiológicos para investigação da razão de transmissibilidade. Atividades de grande aglomeração, como aulas presenciais, abertura plena de shopping centers, celebrações religiosas, eventos esportivos e culturais, entram nas fases finais da estratégia.
Por: Governo do Estado do Ceará.

CE tem menor taxa de contágio do País e estabiliza curva de Covid-19


Ainda não é a notícia que sempre quisemos dar, mas já é melhor do que muitas: a curva de contágio do novo coronavírus no Ceará está, hoje, estabilizada. Uma pesquisa do grupo Covid-19 Analytics, que reúne engenheiros, economistas e cientistas de dados, aponta que o Estado é o único de todo o País com taxa de contágio abaixo de 1 (0,92). Isso significa dizer que, em média, cada infectado no Ceará transmite o vírus para menos de uma pessoa – cenário que, se for mantido, deve frear o avanço da doença e diminuir o número de novos casos.
Atualmente, o Ceará tem 37.821 casos confirmados e 2.733 mortes por Covid-19. Outras 24.979 pessoas estão recuperadas. Em Fortaleza, são 21.328 confirmações da nova virose e 1.804 óbitos, enquanto os recuperados somam 13.950 casos. Os dados são do Integra SUS, plataforma da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), atualizados às 18h04 dessa quinta-feira (28).
O cálculo para se obter o número efetivo de reprodução (R) – nome oficial da “taxa de contágio” – considera variáveis como o crescimento de casos confirmados dia a dia, o número de pacientes recuperados e o de casos ainda ativos. Desse modo, outro fator que interfere nos resultados são os níveis de transparência na divulgação de dados por parte das secretarias de saúde estaduais, já que o Covid-19 Analytics utiliza fontes oficiais.
O levantamento da PUC-Rio mostra as taxas de contaminação no Ceará entre os dias 15 de abril, quando uma pessoa infectada no Estado transmitia a doença para outras 2,75; e 26 de maio, segundo dia em que a taxa ficou abaixo de 1, considerado o “ideal”. O número favorável foi atingido ainda em 25 de maio, quando ficou em 0,99. A taxa atual do Brasil, de 26 de maio, é de 1,89.
O pico de transmissibilidade no Ceará, segundo os dados, foi registrado no dia 22 de abril, quando a taxa de contágio totalizou 3,01 – ou seja, um doente cearense passava o novo coronavírus para cerca de três pessoas, fazendo os casos se multiplicarem com maior velocidade.
O modelo matemático leva em conta também o tempo de recuperação de cada paciente, como explica Gabriel Vasconcelos, pesquisador de pós-doutorado da Universidade da Califórnia e integrante do Covid-19 Analytics. “A taxa está ligada diretamente a quantas pessoas cada doente infecta. O que a faz subir ou descer é a velocidade com que as pessoas se recuperam. Conforme os tratamentos forem avançando, o número desce; se os pacientes ficam doentes por mais tempo, podem infectar mais gente, e a taxa sobe”, pontua.
Cautela
Conforme o pesquisador, “o Ceará tem apresentado uma queda do número de reprodução de forma consistente”, sem oscilações, como o Rio de Janeiro, por exemplo. Aqui, desde 4 de maio, o contágio só cai. “O Estado está mostrando uma tendência estável, é uma coisa boa, aumenta nossa confiança. Mas como o Ceará passou pro patamar menor do que 1 agora, no dia 26, é preciso muita cautela, esperar se vai se consolidar assim. Não estamos dizendo que o número não pode voltar a subir”, alerta Gabriel, destacando que a velocidade de transmissão em cidades do interior, por exemplo, é diferente da Capital. Locais onde a pandemia chegou depois tendem a ter taxas de contágio maiores.
Apesar da tendência positiva, ter cautela no retorno às atividades e ao convívio social é crucial. “O número acabou de ficar abaixo de 1, quarta e quinta eles tendem a ser mais altos, então é preciso ficar de olho. A taxa pode voltar a crescer. Se a ‘volta gradativa’ for realmente gradativa, é uma coisa boa. Se a taxa voltar a subir, tem que voltar a fechar”, sentencia o pesquisador.
O gerente da Vigilância Epidemiológica de Fortaleza, Antônio Lima, informa que os modelos aplicados na Capital são diferentes dos da PUC-Rio, mas confirmam a estabilização e início de queda da média de casos diários na cidade. Já os registros de óbitos semanais seguem num patamar “bastante elevado”, mas também estão “estabilizados desde o dia 10 de maio”.
O epidemiologista pontua que outro fator, apesar de ausente dos cálculos, também é fundamental para se perceber o freio no avanço da pandemia: a menor procura de pacientes pelas unidades de saúde. “Quando falo de dados epidemiológicos, falo de uma semana atrás, existe uma defasagem nas taxas. Mas quando vejo a redução da demanda assistencial em postos de saúde e UPAs, com menos atendimentos de quadros graves de síndromes gripais, isso reflete o dia”.
Retorno
Uma possível razão para o cenário otimista em Fortaleza (epicentro da doença no Ceará) foi o lockdown, em vigor desde 8 de maio. “Modelos desenvolvidos pós-lockdown já mostravam que fim de maio e início de junho seriam de maior estabilidade. Sem isolamento rígido, o pico se estenderia até julho. Não funcionou às mil maravilhas, não é um lockdown europeu, numa comunidade carente é muito mais complexo, mas o isolamento que girou em torno de 60% em alguns dias é satisfatório”, frisa Dr. Antônio.
O retorno gradual às atividades, confirmado ontem (28) pelo Governo do Estado para o dia 1º de junho, considerou uma “combinação” de fatores, segundo ele. “O protocolo tem uma fase de transição, com cuidados rigorosos. As empresas precisam respeitar a restrição de contato, uso de máscara e álcool em gel, evitar aglomeração e manter distanciamento mínimo. O transporte público deve funcionar escalonado, para evitar lotações em horário de pico. São diversas questões para que não haja um novo pico e a fase seguinte possa acontecer”, analisa o gerente.
Em live realizada ontem, o secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, afirmou que os atendimentos no sistema público de saúde caíram 50%, confirmando a tendência de queda de casos e óbitos. Sobre a reabertura do comércio e outras áreas, o titular ressaltou que foi “baseada na ciência”. “Utilizamos critérios baseados na capacidade do sistema de saúde, como leitos por região e números de internações; na mortalidade e letalidade da doença, no risco e gravidade do surto epidêmico; e, por fim, em critérios que consideram a questão territorial”, cita.
Fonte:Diário do Nordeste.

Auxílio emergencial: prorrogação vai custar pelo menos R$17 bilhões por mês



Cada mês de prorrogação do auxílio emergencial deve custar pelo menos R$ 17 bilhões para o governo federal. A estimativa é do Ministério da Economia e considera que o valor do benefício vai cair dos atuais R$ 600 para R$ 200 depois da terceira parcela, como sugeriu o ministro da Economia, Paulo Guedes.

A estimativa do impacto que o auxílio emergencial terá para as contas públicas, caso dure mais que os três meses imaginados inicialmente pelo governo, foi apresentada nesta quinta-feira (28/05) pelo secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, que representou o Ministério da Economia em audiência pública promovida pela comissão mista que acompanha o enfrentamento da covid-19 no Congresso Nacional.

Waldery foi questionado pelos parlamentares se o governo vai de fato atender o apelo da população e estender o amparo aos trabalhadores que ficaram sem renda diante da crise do novo coronavírus. E admitiu que o auxílio emergencial deve ser prorrogado, mas ressaltou que o valor do benefício deve ser diminuído, como já sugeriu Guedes e o presidente Jair Bolsonaro.

O secretário da Fazenda afirmou, então, o que governo "usará certamente o Bolsa Família como referência" na prorrogação do auxílio emergencial. O Bolsa Família foi apontado como um parâmetro para o programa pelo ministro Paulo Guedes na semana passada e tem um benefício médio mensal é de R$ 191. Por isso, levaria o auxílio emergencial para algo em torno de R$ 200.

"Pode haver sim prorrogação. Uma prorrogação, por exemplo, de R$ 200 vai implicar em um custo por mês de aproximadamente R$ 17 bilhões. Portanto, estamos com atenção e veremos para que caiba no orçamento, dando prioridade a essa camada mais vulnerável", acrescentou Waldery.

Ele argumentou que a redução do valor do auxílio aos mais vulneráveis precisa ser considerada porque hoje o programa dos R$ 600 é muito caro para o governo. O programa já tem um orçamento de mais de R$ 151 bilhões e é o item do pacote de enfrentamento ao coronavírus que mais gera impacto nas contas públicas brasileiras. Afinal, prevê o pagamento de três parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil (no caso das mulheres chefes de família) para mais de 59 milhões de brasileiros - números que não estavam nos planos do governo, que inicialmente esperava pagar um benefício de R$ 200 para pouco mais de R$ 30 milhões de trabalhadores informais.

"Hoje, o auxílio emergencial leva a um valor de gasto primário de quase R$ 152 bilhões. Como são três meses, dá uma média de R$ 51,5 bilhões por mês. É um programa extremamente importante, mas é um programa caro. É um programa que, colocado em perspectiva, tem que ser analisada a efetividade e o custo dele", argumentou o secretário da Fazenda, destacando que o Bolsa Família, por sua vez, custa cerca de R$ 29 bilhões por ano.

Waldery concluiu, então, que o governo está analisando a questão do auxílio emergencial e vai complementar o que for necessário no auxílio aos mais vulneráveis, mas dentro das suas limitações fiscais. "O auxílio emergencial muito provavelmente vai ser prolongado, mas com outro perfil, outro formato. É um programa valiosíssimo, de alta efetividade, mas também é um programa caro. Custa em média R$ 51,5 bilhões [por mês]. É um valor muito alto. Não cabe uma extensão muito prolongada nas nossas contas", encerrou, indicando que, além de cortar o valor do benefício, o governo também considera que esta prorrogação não será permanente. Deve valer, portanto, o que também já sugeriu o ministro Paulo Guedes: o pagamento de cerca de R$ 200 por mais "um ou dois meses".

Por: Correio Braziliense.

Frente fria deve contribuir para chuvas isoladas no Cariri e região Jaguaribana até esta sexta-feira, 29


A porção centro-sul do Ceará deverá ser beneficiada com chuvas isoladas entre esta quinta, 28, e sexta-feira, 29, segundo previsão do tempo realizada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) na manhã de hoje.
Conforme a análise das condições meteorológicas e de resultados de modelos numéricos, as precipitações esperadas para esta quinta deverão ocorrer, principalmente, em áreas da macrorregião Jaguaribana e do Cariri entre a tarde e a noite. Nas demais áreas, a Funceme aponta possibilidade de chuva, isto é, registros em apenas de 5 a 20% do território.
A atual tendência de acumulados nas áreas do sul do Ceará se dão pela passagem de uma frente fria entre os estados da Bahia e Sergipe. Para as demais regiões, a atuação de brisa marítima e de outros mecanismos físicos locais – como aquecimento diurno e relevo – poderá colaborar para acumulados.
A previsão do tempo para esta sexta é semelhante àquela apontada para hoje.
Por: Repórter Ceará.

Morte por afogamento na cidade de Jucás


Ontem, 28/05/2020, por volta das 05h40min, a Polícia Militar foi informada via telefone de emergência, acerca de um corpo em estado de óbito flutuando em um açude, situado nas proximidades da Rua Pe. Manuel Lemos Braga, Bairro Alto do Tó, Jucás – CE.

Prontamente, a VTR 10351 dirigiu-se ao local e atestou a vericidade da informação encontrando a vítima.

Segundo informações repassadas por familiares, o referido sofria de transtornos mentais e frequentemente fazia ingestão de bebida alcoólica e perambulava pelas ruas da cidade. 


A Polícia Militar realizou a preservação do local até a chegada da Perícia Forense, que adotou as medidas legais cabíveis. A Polícia Civil foi informada a respeito do fato.

Por: Quartel do 10º BPM, Iguatu – CE.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Prefeitura de Iguatu realiza trabalho de concientização em relação ao Corona Vírus


Nessa quarta-feira dia 27/05/2020 as equipes da prefeitura Municipal através das secretarias do trânsito, mobilidade urbana e segurança, da saúde  com a vigilancia sanitária, de demais secretarias e o apoio da policia Militar através do 10° batalhão, realizaram vários  serviços  de vigilância  em diversos bairros de nossa cidade.

O trabalho tem por objetivo conscientizar a população quanto ao uso de máscaras e educação nesse momento de pandemia. Os bairros fomento e vila centenário receberam os comboios hoje.

Amanhã os trabalhos continuam em outros bairros e ainda nessa semana chegaremos aos distritos do município levando educação em saúde, conscientização relacionado ao combate da pandemia do Covid-19 e distribuição de máscaras à população.

Prefeitura de um novo tempo. Juntos somos fortes, unidos seremos imbatíveis!.

Novos respiradores salvam vidas no Sertão Central; Hospital de campanha na fase final

Para ampliar o atendimento na Região de Saúde do Sertão Central, o Governo do Ceará iniciou nesta semana a entrega de 25 novos respiradores para a região. Os equipamentos, modelo VG70, um dos mais modernos e robustos do mundo, irão auxiliar os profissionais de saúde no enfrentamento do novo coronavírus. Os aparelhos foram destinados para equipar novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
São 15 respiradores para o Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), da rede da Secretaria da Saúde do Estado, do Governo do Ceará. Há também cinco para o município de Quixeramobim, para serem usados no Hospital Regional Dr. Pontes Neto e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). E outros cinco para a cidade de Quixadá, onde serão utilizados em um hospital de campanha que está sendo construído pela gestão municipal. A distribuição dos materiais em todas as regiões do Ceará leva em consideração os dados epidemiológicos dos municípios.
O empresário Paulo Roberto de Oliveira Júnior, de 35 anos, residente em Quixadá, é um dos 56 pacientes com Covid-19 que receberam alta no HRSC. Ele esteve internado por cinco dias na enfermaria Covid do HRSC. “Realmente eu fiquei impressionado com o atendimento do hospital. Eu já morei em Natal, São Bernardo do Campo e Recife, e nunca vi nada igual em nível de estrutura. Um cuidado, organização e limpeza que eu nunca vi”, destaca.
Após cinco dias do início dos sintomas, Paulo conta que o seu corpo começou a ter sinais que o incomodavam muito, principalmente a via respiratória. “Não é uma gripe. É uma sensação muito ruim mesmo. Só quem já teve sabe como é ruim. No meu caso após uns quatro dias, o pulmão começou a ter reações que eram muito desconfortáveis. Para concluir, quero dizer que as pessoas não entrem em pânico, não entrem em desespero, mas sim, tenham medo, um medo sadio, pois essa reação do nosso corpo é muito importante para todos nós nos precavermos dessa doença”, alerta.

Mais leitos

O HRSC conta atualmente com 92 leitos exclusivos para atendimento do novo coronavírus, sendo 58 de enfermaria, 30 de UTI, além de 4 de enfermaria obstétrica Covid. O hospital também contará com um hospital de campanha, que disponibilizará mais 40 leitos de enfermaria. O diretor-geral da unidade, Marcelo Theophilo Lima, destaca a importância da chegada dos respiradores. “O recebimento desses respiradores vai proporcionar uma melhor assistência à população do Sertão Central. Hoje nós estávamos com a nossa capacidade já no limite, e com isso podemos abrir novos leitos de UTI, que é a maior necessidade da região”, afirma.
Por: Governo do Estado do Ceará.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Governo lança Ceará App com serviços de saúde


O Ceará App está disponível nos sistemas Android e IOS. O aplicativo oferece atendimento rápido e seguro à população
A partir desta terça-feira (26), a população do Ceará terá mais facilidade de acesso a serviços públicos de saúde com o Ceará App. O aplicativo funciona como um hub de serviços digitais, tudo ao alcance da mão. O software é mais um passo do Governo do Ceará, por meio do Laboratório de Inovação e Dados (Íris) e da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), no sentido de tornar digitais os serviços públicos, garantindo agilidade no atendimento, além de credibilidade e segurança aos usuários.
Além da área da saúde, outros serviços serão incluídos no aplicativo. A proposta é que em um só canal de comunicação o cidadão possa ter acesso aos principais serviços públicos. “Estamos partindo agora com a Secretaria da Saúde, mas teremos uma série de ferramentas que irá compor essa grande plataforma de transformação digital. Iremos adicionar de forma permanente outros serviços para que o Ceará App transforme-se na principal porta de entrada na relação entre o cidadão e o Governo do Estado”, explicou Élcio Batista, secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Ceará.

24 horas

No aplicativo, disponível para IOS e Android, o cidadão pode receber atendimento de profissionais da saúde de plantão 24 horas — tanto para buscar orientações relacionadas à Covid-19 quanto para outras doenças. O sistema localiza unidades de saúde mais próximas ao cidadão e traz informações sobre atendimentos, resultados de exames e testes para a Covid-19.
“Como estamos em meio ao enfrentamento à Covid-19, direcionamos a plataforma para isso, mas teremos outras funcionalidades, como agendamento e confirmação de consultas de média e alta complexidade, informações sobre diversos tipos de exames e acesso de cada usuário ao seu prontuário. Toda a plataforma de saúde estará contemplada no aplicativo”, explicou a secretária executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, Magda Almeida.

Caminho saudável

Uma das novidades do aplicativo é alertar sobre o contato com pessoas suspeitas de estarem contaminadas. De acordo com o secretário-chefe da Casa Civil, a plataforma irá mapear, a partir da autorização do usuário, pessoas que tiveram contato com o vírus e informar quais estão contaminadas.
“Com isso, conseguiremos trabalhar para controlar o vírus. A melhor forma de evitar a expansão dele e, consequentemente, o colapso do sistema de saúde é fazer essa diferenciação entre quem pegou, quem não pegou, quem está curado e quem está doente”, ressaltou.
Ainda segundo ele, o aplicativo preza pelos mais rígidos controles de privacidade para garantir que a identidade do usuário será preservada. “As informações ali contidas não serão usadas para nenhum outro fim que não a segurança e a proteção sanitária de todos os cearenses”, concluiu Batista.

Confira os serviços oferecidos pelo Ceará App:

Plantão online: atendimento de profissionais de saúde de plantão 24 horas para tratar de problemas de saúde em geral e relacionados à Covid-19;
Saúde mental: atendimento de profissionais de saúde de plantão 24 horas para tratar de problemas relacionados à saúde mental;
Unidades de Saúde: serviço para encontrar as unidades de saúde mais próximas da sua residência, informar-se sobre atendimentos das unidades de saúde a pacientes com Covid-19, sobre a coleta de exames e testes da doença e conferir resultados de exames;
Caminho Saudável: alerta o usuário do aplicativo em caso de contato direto com uma pessoa que teve exame positivo para Covid-19. A identificação do encontro será possível por meio da localização dos envolvidos: usuário e infectados.
Download:
Android
IOS